Travesti baleada no corso de Teresina é liberada de UTI

Ela foi internada no Hospital de Urgência de Teresina.

A travesti Pâmela Leão, de23 anos, passou cerca de 36 dias na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital de Urgências de Teresina, após ser atingida na cabeça durante o Corso de Teresina. Segundo a equipe médica, Pâmela apresentou melhora e foi transferida para uma clínica médica do hospital.

A paciente já consegue responder a estímulos de doe, mesmo sem falar. Com os dedos, Pâmela responde a comandos durante o tratamento.

Relembre o caso

A travesti  Pamella Leão, também conhecida por Pâmellete, foi vítima um tiro  acidental na cabeça durante o Corso 2016 no sábado (30). Ela foi internada no Hospital de Urgência de Teresina (HUT), em estado de saúde estável e com boa recuperação.

Em entrevista ao meionorte.com, a coordenadora Grupo Piauiense de Transexuais e Travestis (GPTrans), Maria Laura dos Reis, confirma que o tiro teria não se tratou de transfobia, mas sim de um acidente.

“Estamos esperando o enfermeiro que trabalha no HUT nos repassar notícias atualizadas, mas o que sabemos é que ela está estável”, afirma.

O caso segue sendo investigado, mas de acordo com as primeiras informações Pamella participava do evento com um grupo de amigos, no momento em que encontraram a arma no passeio da avenida Raul Lopes e teriam iniciado uma brincadeira com o revólver que acabou disparando e atingido a travesti.


Pâmela (Crédito: Divulgação)
Pâmela (Crédito: Divulgação)
Fonte: Portal Meio Norte