Polícia Civil prende suspeitos de matar jornalista e namorado

Polícia Civil prende suspeitos de matar jornalista e namorado

Segundo a polícia, o rapaz, de 26 anos, confessou o assassinato e disse que trabalha em uma empresa de segurança privada

Três pessoas suspeitas de matar a jornalista Mariza Cavalcanti e o ex-namorado foram presas nesta terça-feira (29). Um dos suspeitos é vigilante e se apresentou durante a tarde à Polícia Civil. Segundo a polícia, o rapaz, de 26 anos, confessou o assassinato e disse que trabalha em uma empresa de segurança privada. Os outros dois homens foram presos após o vigilante se entregar.

O crime aconteceu no dia 19 de novembro, por volta das 8h, em um posto de combustíveis da avenida mais movimentada de Coqueiral de Itaparica, em Vila Velha. Os criminosos roubaram o carro de um cliente de uma padaria da região para fugir.

Entenda o caso

Testemunhas disseram à polícia que uma mulher, de 52 anos, e um homem, de 36 , chegaram juntos a uma loja de conveniência do posto. O casal estava bebendo quando dois suspeitos, que não esconderam os rostos, se aproximaram e chamaram o homem para conversar fora da loja.

Assim que ele se levantou para acompanhar os suspeitos, a mulher disse que os acompanhariam. Ela, porém, foi intimidada pelos criminosos, de acordo com testemunhas. No entanto, a jornalista também saiu da loja atrás dos três homens.

O grupo percorreu cerca de 15 metros até o pátio em frente ao posto de combustíveis, onde os suspeitos discutiram com o homem e depois atiraram. Apenas um dos criminosos atirou. Foram dois disparos: o primeiro deles foi contra o homem, atingido no pescoço, e o outro foi contra a jornalista, na barriga, segundo a polícia.

A ação durou cerca de cinco minutos. O cliente de uma padaria que estacionava o carro próximo ao local do crime, foi rendido pelos bandidos e obrigado a entregar o veículo. O carro foi localizado momentos depois em um bairro vizinho.

Policiais da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) estiveram no local do crime e fizeram levantamentos sobre o crime. A perícia da Polícia Civil também esteve no local. Os corpos foram encaminhado para o Departamento Médico Legal (DML), em Vitória.

Fonte: G1