Turista australiana é agredida durante assalto no RJ

O caso foi registrado na Delegacia Especial de Apoio ao Turista (Deat)

Uma turista australiana foi agredida ao ser assaltada na madrugada desta sexta-feira (20) em Santa Teresa, no Centro do Rio. As informações são do 1º BPM (Estácio) e do Batalhão de Turismo (BPTur). É o quinto caso envolvendo roubo a turistas em três dias na cidade.

Segundo informações iniciais, a turista estava voltando para o seu hotel quando foi abordada por um suspeito armado. Ele a teria agredido durante crime. O assaltante levou seu passaporte, três cartões de crédito e cerca de R$ 600 em dinheiro.

O caso foi registrado na Delegacia Especial de Apoio ao Turista (Deat). Mais cedo, um outro australiano prestou uma queixa de roubo na mesma delegacia. Ele teria sido assaltado em Copacabana, na Zona Sul do Rio, na noite de quinta (19).

Assaltados na Zona Sul

Quatro turistas foram assaltados na tarde de quinta-feira na Estrada das Canoas, na Zona Sul do Rio. Segundo o delegado Fernando Veloso, da Delegacia Especial de Atendimento ao Turista (Deat), dois criminosos trocaram tiros com policiais militares no local, depois de roubarem pertences das vítimas.

A polícia informou que dez turistas ? seis alemães e quatro americanos - estavam no carro na hora da abordagem. Os dois assaltantes roubaram câmeras e dinheiro das vítimas. Eles foram flagrados por uma equipe do 23º BPM (Leblon), que estava passando no local. Os dois fugiram em direção à mata.

Ninguém ficou ferido na ação.

Turistas assaltados

O assalto aconteceu no mesmo dia em que 34 turistas foram assaltados quando dormiam em um albergue no Centro do Rio, nesta madrugada; e um dia após um outro albergue, em Copacabana, na Zona Sul do Rio, ter sido invadido por criminosos, que roubaram 13 vítimas.

De acordo com o delegado, os quatro suspeitos que assaltaram o albergue em Copacabana podem ser considerados de classe média, e um deles, inclusive, já foi identificado.

O governador Sérgio Cabral determinou uma investigação rigorosa para os casos.

?No caso dos albergues é mais grave ainda porque eu é que lancei os albergues da juventude no Brasil. Então pra mim é uma dor muito grande ver um produto que eu lancei há mais de 20 anos, que no Rio de Janeiro está virando fashion inclusive, sofrer um ataque desses?, informou o governador.

Foragido da polícia

O suspeito do crime na Zona Sul, que teria 27 anos, seria foragido da polícia, segundo informou o delegado.

?Dois turistas o identificaram como um dos criminosos que assaltaram o albergue. Ele é mais conhecido como Pelico do Leme, e, apesar de ser de Niterói, vinha agindo na região de Copacabana?, disse o delegado.

Segundo Fernando Veloso, ainda falta identificar os outros três suspeitos. A polícia espera conseguir imagens do circuito de segurança de prédios e estabelecimentos da região, e também vai ouvir seguranças que trabalham em ruas próximas ao local do crime.

Sem relação entre assaltos

O delegado ressaltou ainda que, segundo informações iniciais, o crime registrado em Copacabana não tem relação com o assalto do albergue no Centro. No entanto, há semelhanças entre os dois crimes.

?Nada indica que um crime tenha relação com o outro, mas há semelhanças entre eles. Os dois ocorreram por volta das 4h, quando a segurança das ruas é mais fraca. Os suspeitos também usaram uma granada. Mas a principal semelhança é a vulnerabilidade dos estabelecimentos?, disse.

Albergue do Centro

Veloso informou que a polícia já identificou um suspeito para o crime e também será pedida a sua prisão. No entanto, ele não teve o nome divulgado.

O delegado disse que um sistema de segurança ajudaria no caso.

?As câmeras do local estavam inoperantes. Isso pode dificultar as investigações. Também temos informações que qualquer pessoa que quisesse usar o banheiro do albergue poderia usar, mesmo não sendo hóspede. Os turistas estrangeiros são um alvo em potencial, e vamos tentar protegê-los a qualquer custo?, disse.

Fiscalização nos albergues

De acordo com o titular da Deat, a delegacia vai realizar, em parceria com a prefeitura do Rio, uma fiscalização nos albergues para verificar se estes estabelecimentos funcionam regularmente.

O delegado informou ainda que solicitou apoio à PM para aumentar o efetivo nas regiões próximas aos albergues do Centro e da Zona Sul durante o carnaval.

Abih-RJ envia carta a governador

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do estado do Rio de Janeiro (Abih-RJ) divulgou uma nota em que demonstra preocupação após dois assaltos a albergues em menos de 24 horas. O presidente da Abih-RJ, Alfredo Lopes, enviou uma carta ao governador Sergio Cabral Filho pedindo mais segurança aos turistas na cidade. A Abih-RJ estima que haja cerca de 90 estabelecimentos na cidade.

Fonte: g1, www.g1.com.br