Um ano depois, polícia indicia médicos pelo homicídio da menina Adrielly;veja

A garota foi atingida na cabeça por uma bala perdida na comunidade do Urubuzinho.

Dois médicos do Hospital Municipal Salgado Filho, na zona norte do Rio, foram indiciados pela morte da menina Adrielly dos Santos Vieira, na madrugada do dia 25 de dezembro de 2012. A garota foi atingida na cabeça por uma bala perdida na comunidade do Urubuzinho, na zona norte, e passou oito horas à espera por uma cirurgia no hospital.

De acordo com o delegado Luiz Archimedes, titular da Delegacia do Méier (23ª DP), vão responder por homicídio culposo (quando não há intenção de matar) os médicos José Renato Ludolf Paixão, chefe da neurologia do hospital, e Enio Eduardo Lima Lopes, chefe do plantão.

As investigações constataram que a demora no atendimento ocorreu porque não havia um neurocirurgião disponível no local. Adão Orlando Crespo Gonçalves, que deveria estar trabalhando, faltou ao serviço. Segundo o delegado, José Renato e Enio sabiam que Adão iria se ausentar e não providenciaram um substituto.

O inquérito será encaminhado ainda nesta sexta-feira (20) para o Ministério Público.

Em janeiro, a Delfaz (Delegacia Fazendária) indiciou Adão Orlando Crespo Gonçalves por falsidade ideológica e estelionato contra a administração pública. Na ocasião, Francisco Doutel, médico que trabalhava e recebia salários no lugar de Adão, também foi indiciado pelo crime de estelionato contra a administração pública.


Um ano depois, polícia indicia médicos pelo homicídio da menina Adrielly

Fonte: r7