"Um pedaço foi embora", diz mãe que matou a filha para ficar com o genro

Célia Forti, a mãe, e Bruno da Costa, o marido da filha, têm versões diferentes para o assassinato

A mãe acusada de planejar a morte da filha, no interior do Paraná, para continuar um relacionamento com o genro, Bruno da Costa, de 26 anos, falou pela primeira vez, de dentro da cadeia, onde está presa com o amante, que confessou o crime. Ele também apresentou a sua história sobre o assassinato de Jéssica Carline Ananias da Costa, de 22 anos. Célia Forti nega ter planejado o assassinato e disse que o caso amoroso era ?forçado?.


?Um pedaço do meu coração foi embora?, diz mãe acusada de matar a filha para ficar com genro

? Ele [Bruno] usava a obsessão que ela [Jéssica] tinha por ele... "Ela vai ser feliz, se você ficar comigo. Daí todo mundo vai ser feliz?.

As investigações apontaram que Célia teria orquestrado o plano para simular um assalto e matar a filha.

? Eu não planejei nada disso. De maneira nenhuma. Foi ele que planejou tudo. [...] Nunca, pelo amor de Deus, a minha filha era a minha paixão. E continua sendo. Um pedaço do meu coração foi embora.

Bruno garantiu que o caso deles era recíproco e que nada jamais foi forçado.

? Acho que é uma questão que ela esta querendo se resguardar. [...] Se eu estou ameaçando, eu estou aqui na frente de você e te ameaço, te pego à força e, não, você vai fazer isso. Só que uma pessoa que conversa com você por MSN, horas, ligações telefônicas, creio que serão puxadas no caso, vai ter ligação lá de uma, duas, duas horas e meia, no telefone.

Jéssica descobriu a traição em dezembro do ano passado e bateu na mãe, de acordo com a polícia. Eles se separaram, mas voltaram a viver juntos um mês depois. O pai de Bruno ainda contou que a jovem disse ter perdoado a mãe.

Em fevereiro, Bruno contou que voltava de um motel, em uma cidade próxima a Apucarana, onde eles moravam, e a sogra comentou sobre ?eliminar? Jéssica. Segundo ele, o plano era que os dois ficassem juntos depois disso.

? Era o combinado, o acertado. A gente ia se mudar de Apucarana para outro lugar que ninguém conhecesse a gente, para, sim, tentar uma vida nossa.

Acertado o plano, eles contrataram, por R$ 500, Bruno César Albino, que ajudaria a forjar um roubo, levando o carro do casal. Na madrugada do dia 9 de maio, quando os dois discutiam, o marido de Jéssica deu 31 facadas nela, dentro do banheiro da casa deles. À polícia, ele falou que ela tinha reagido com uma máquina de choque a um assalto.

A versão não se sustentou muito e dois dias depois Bruno confessou o crime e disse que a sogra também tinha participação. Para a polícia, está mais do que provado o envolvimento de Célia, de acordo com o delegado Ítalo Sega.

? No inquérito ficou claro e patente o envolvimento de ambos, até pela confissão do autor. E os fatos indicam que a Célia está absolutamente envolvida.

Agora, com os dois amantes na cadeia, a filha de Jéssica e Bruno está sendo cuidada pelos avós paternos, conforme determinação da Justiça. Eles são processados por homicídio triplamente qualificado e poderão pegar até 30 anos de prisão, se condenados.

Fonte: r7