Usuários de drogas ameaçam população na zona Sul de Teresina

Mototaxistas denunciam as abordagens

Os mototaxistas que fazem ponto em frente ao Hospital de Urgência de Teresina estão indignados por conta da presença frequente de usuários de drogas na região. Os profissionais afirmam que a abordagem dos dependentes químicos tem assustado pedestres, pacientes e profissionais do HUT.

Ricardo Costa, que trabalha há oito anos como mototaxista, conta que já presenciou por diversas vezes pedestres sendo assaltados pelos usuários de drogas.

“Eles pedem dinheiro para as pessoas e quando alguém nega eles forçam a pessoa a dar. Tem gente com tanto medo que pega um mototáxi para ir até a próxima esquina, só de receio deles”, relata.

Outro mototaxista que trabalha em frente ao HUT, Francisco Santos, denuncia também que alguns usuários de drogas trabalham como guardadores de carros - flanelinhas -, e quando o dono do veículo não os paga eles riscam os automóveis.

A acompanhante de um paciente do HUT, Isadora Emília, reforça a denúncia dos mototaxistas. A mulher afirma que evita sair de dentro do Hospital para não ter que ser abordada pelos usuários.

“A maioria vive sob o efeito do crack e é agressiva. Eu fico assustada”, disse. Os dependentes químicos também são moradores de rua e se instalaram com rede e colchões na frente do hospital.

LIXO TAMBÉM INCOMODA - Além do medo de assaltos, pacientes e profissionais do Hospital de Urgência convivem com mau cheiro provocado pelo acúmulo de lixo nos arredores do centro de saúde.

Os mototaxistas contam que recentemente a Superintendência de Desenvolvimento Sul (SDU-Sul) fez a capina do matagal que fica em frente ao hospital.

“O mato era usado para ser depósito de lixo. A prefeitura removeu o matagal, mas ainda assim as pessoas continuam despejando resíduos no local. É complicado trabalhar aqui”, lamenta o mototaxista Ricardo Costa.

Projeto capacita para acolhimento de dependentes químicos

"Conhecer para tratar" é o que propõe um projeto da Fazenda da Paz em parceria com a Prefeitura de Teresina, através da Secretaria Municipal do Trabalho e Assistência Social (Semtcas), que vai capacitar técnicos e profissionais sobre o uso indevido de álcool, crack e outras drogas.

Os cursos acontecem de 8 á 15 de junho, destinados à assistentes Sociais e profissionais da área de saúde, Técnicos e profissionais (CRAS, CREAS, CAPS AD), aconselhadores em dependência química, dirigentes, técnicos administrativos e monitores de comunidades terapêuticas.

De acordo com a secretária da Semtcas, Mauriceia Carneiro, essa capacitação é uma oportunidade de aproximar os serviços que compõem a rede de atendimento aos usuários de substâncias psicoativas e suas famílias.

"A Prefeitura Municipal de Teresina por meio da Semtcas tem buscado esforços no sentido de garantir o atendimento a esse público, como também, estratégias para o enfrentamento dessa grave situação social.

Essa parceria com a Fazenda da Paz é um indicativo de que somente com ações articuladas podemos enfrentar o fenômeno da drogadição em nossa cidade", explica.

Para Célio Luiz Barbosa, coordenador geral da Fazenda da Paz, a capacitação proporciona uma visão global do conhecimento teórico e prático do acolhimento do dependente químico e seus familiares. "Precisamos criar uma rede qualificada de atendimento aos dependentes químicos.


Esse curso vai proporcionar conhecimentos e dispositivos terapêuticos sobre a dependência química, em seu contexto social e histórico, efeitos sociais, psíquicos e biológicos, sendo mais um espaço para o diálogo e troca de experiências que vai favorecer o melhor acolhimento do dependente químico", disse.


De acordo com Célio Barbosa, o curso vai ajudar também a identificar o tipo de tratamento e os encaminhamentos necessários. "Existem pessoas que são usuárias de drogas e desejam o tratamento que conseguem bons resultados com acompanhamento através do CAPS, por exemplo, outras precisam realmente sair o seu ambiente habitual para buscar o tratamento, como é o caso das comunidades terapêuticas. Saber identificar essas pessoas é essencial para melhores resultados", exemplifica.

Fonte: Virgínia Santos e Izabella Pimentel