“Vão sair de Salvador e nos matar”, diz irmã de menina que acusa pagodeiros de estupro

“Vão sair de Salvador e nos matar”, diz irmã de menina que acusa pagodeiros de estupro

Músicos foram transferidos, na sexta-feira, para presídio de Feira de Santana.

A irmã de uma das adolescentes que dizem ter sido estupradas por integrantes da banda de pagode New Hit, diz que as duas vítimas continuam recebendo ameaças de morte mesmo depois de terem registrado queixa na polícia. As famílias das menores deixaram as casas onde viviam na cidade de Itaberaba (BA) nesta sexta-feira (31).

A irmã afirma que as ligações são sempre feitas por mulheres que dizem vir de Salvador para matar as menores.

? Tivemos que sair às pressas sem contar para ninguém para onde vamos. Durante uma noite, um carro preto de luxo ficou rondando nossa casa, cantando pneu. Estamos morrendo de medo. Mas fazem isso porque sabem que o que elas estão falando é verdade. Elas [mulheres que, supostamente, fazem as ameaças] dizem que vão sair de Salvador para matar as meninas.

Integrantes da banda foram presos no domingo (26) na cidade de Ruy Barbosa (BA). Em depoimento, as supostas vítimas contaram à polícia que tudo começou quando elas pediram para tirar uma foto com o grupo. Neste momento, o produtor teria pedido para elas entrarem no ônibus da banda. Então, ainda de acordo com elas, os músicos teriam obrigado as adolescentes a entrar no banheiro do veículo e as estupraram. No relato, as garotas disseram que os suspeitos entravam no banheiro em dupla para abusá-las, cinco duplas no total.

Uma das garotas contou que só teria sido abusada pelo vocalista da banda. A outra contou que foi abusada pelos dez suspeitos. Marcelo Cavalcanti, delegado responsável pelo caso, disse não acreditar que todos os suspeitos tenham penetrado as vítimas, mas que alguns teriam colaborado segurando as jovens dentro do banheiro.

Um dos dez envolvidos é policial militar e também foi preso suspeito de envolvimento no caso. Ele foi transferido, na segunda-feira (26), para um batalhão da PM.

? As peças de roupas delas foram recolhidas e fizemos exames que irão comprovar se ocorreu ou não os estupros. Como as vítimas prestaram queixa e fizeram o reconhecimento, todos [os suspeitos] ficarão detidos até que o resultado do exame seja divulgado.

Nove integrantes foram transferidos para o presídio de Feira de Santana na sexta-feira (31). O policial continua no batalhão.

Fonte: R7, www.r7.com