Vendedor correu após ser colocado para fora de balada, afirma delegado

Grupo que estava em camarote foi retirado de casa noturna antes da vítima.

Imagens de câmeras do circuito de segurança da casa noturna Vitrini Show mostram que o vendedor Ewerton Nogueira, de 25 anos, saiu correndo assim que foi colocado para fora da balada por seguranças na madrugada deste domingo (24), de acordo com o delegado Mario Moretti Filho, titular do 21º Distrito Policial, na Vila Matilde, na Zona Leste da capital. Ele foi encontrado, pouco depois, desacordado em uma vala de uma obra viária a poucos metros da casa noturna.


Vendedor correu após ser colocado para fora de balada, diz delegado

Antes do vendedor, um grupo de jovens que estava em um dos camarotes da casa noturna já havia sido posto para fora pelos seguranças após uma discussão dentro da casa noturna, que envolveu o grupo de amigos do jovem, que morreu no hospital. ?As imagens mostram que a segurança atuou de pronto assim que teve início a discussão e separou o pessoal. Eles colocaram o pessoal do camarote para fora. Depois colocaram o Ewerton?, disse o delegado.

Moretti Filho acredita que o vendedor tenha sido agredido fora da casa Vitrini Show. ?Assim que ele foi colocado para fora ele já saiu correndo. Por isso, se presume que ele estava bem. Mas estamos analisando as imagens para verificarmos se ele foi agredido dentro da casa também?, disse. O jovem foi socorrido por uma equipe do Samu e levado para o Hospital do Tatuapé, também na Zona Leste, onde foi constatado o óbito.

A equipe de investigações do 21º Distrito Policial está analisando as imagens de parte das gravações do circuito de segurança da casa noturna. ?São mais de 20 câmeras. Ainda não recebemos todas as gravações?, informou o delegado.

Na madrugada desta terça-feira (26), os investigadores estiveram na casa noturna para fazer um reconhecimento do local e realizar perícias. Ao menos 10 pessoas, sendo cinco amigos, dois proprietários e três testemunhas da discussão dentro da casa noturna, foram ouvidas no inquérito que apura a morte do vendedor.

Segundo o delegado, os seguranças da Vitrini Show, contratados junto a uma empresa terceirizada, ainda são aguardados na delegacia para prestar depoimento nos próximos dias.

Confiantes

O pai da vítima, Ogival Nogueira, o irmão, Erick Nogueira, e amigos de Ewerton passaram a tarde na delegacia acompanhando as investigações e aguardando por novidades sobre o caso. ?A polícia está realizando um trabalho muito bom de investigação. Estou vendo que estão muito empenhados para resolver isso. Por isso, estou confiante que vão encontrar os responsáveis pela morte do meu filho em breve?, disse Ogival Nogueira.

Apesar de visivelmente abatido, ele garantiu que vai continuar acompanhando de perto as investigações. ?Estou ?vegetando?. Não almocei, não tenho comido nada. Mas enquanto não achar os assassinos, não vou sossegar. Como a empresa me deu férias, pretendo vir aqui todos os dias?, declarou.

Segundo o irmão, foi a segunda vez que Ewerton foi até a Vitrini Show. ?Da primeira vez, ele tinha ido com a esposa. Ele não era de briga, não ia atrás de confusão, mas também não fugia quando o provocavam. Ele era grande, forte, tinha presença e os amigos o adoravam?, relatou Erick. ?Um crime desses não pode ficar impune?, completou.

Nota da Vitrini

Por meio de nota, enviada na noite desta segunda-feira, os proprietários da Vitrini Show esclareceram "que prestaram todas as informações à Autoridade Policial competente relativas ao caso, inclusive colocaram à disposição todas as imagens do circuito de câmeras existentes no local, no intuito de ajudar nas investigações".

No comunicado, eles reafirmaram "que em momento algum o Sr. Ewerton foi agredido dentro do estabelecimento, fato este confirmado pelas imagens deixadas junto à Autoridade Policial". "Os proprietários, bem como toda sua equipe se solidariza aos familiares, e lamentam o ocorrido", completa a nota.

Ewerton tinha 25 anos, estava casado e tinha um filho que irá completar 3 anos de idade em dezembro. De acordo com seus parentes, ele estava brigado com a mulher, mas o casal pensava em reatar.

De acordo com informações do boletim de ocorrência, Ewerton estava com três amigos na balada. Eles contaram que frequentadores do camarote jogaram cubos de gelo neles e houve uma discussão, por volta das 3h30 do domingo. Os amigos disseram ainda que viram o vendedor ser levados por seguranças para um quarto da casa noturna. Cerca de uma hora depois, ele foi encontrado do lado de fora, numa vala.

Um dos amigos, um auxiliar de produção de 25 anos, contou à polícia que saiu da balada por volta das 5h e disse ter ouvido de testemunhas que cerca de 15 pessoas agrediram Ewerton. As testemunhas alertaram o auxiliar de que era para ele sair do local para não apanhar também.

Fonte: G1