Tribunal condena vereador a 7 anos por tentativa de homicídio

Egger foi condenado por tentar matar um policial militar que atuava na prevenção do transporte ilegal no município

Denunciado pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), o vereador de Araruama Sérgio Roberto Egger de Moura foi condenado pelo IV Tribunal do Júri, nessa terça-feira, pelos crimes de tentativa de homicídio e denunciação caluniosa.

Egger foi condenado por tentar matar um policial militar que atuava na prevenção do transporte ilegal no município. A atividade seria administrada por Egger, que é ex-PM e é acusado de liderar uma milícia local. O crime ocorreu em 2009, em frente à casa da vítima, que reagiu e sobreviveu.

A outra acusação pela qual o vereador foi condenado se deve ao fato de que ele e o homem que atirou no PM registraram o fato dias depois do incidente alegando terem sido atacados pela vítima, o que a investigação policial provou não ter ocorrido.

Desde o ano passado, Egger está preso no presídio federal de Porto Velho, em Rondônia. Ele foi condenado a sete anos de prisão. O MP-RJ vai recorrer da sentença para obter aumento da pena. O vereador foi transferido ano passado, após requerimento do Gaeco, que identificou que, mesmo preso desde 2009, ele ameaçava testemunhas e autoridades da polícia, do MP-RJ e do Judiciário.

De acordo com a sentença da juíza Elizabeth Machado Louro, Egger tem registrado 12 anotações criminais. Ele também foi denunciado ano passado pelo procurador-geral de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, Cláudio Lopes, por crimes de porte ilegal de armamento de uso restrito, sequestro, coação e desacato.

Fonte: TERRA.COM.BR