Versão sobre morte de primo de Bruno não convence os familiares

Familiares ainda desconfiam da versão apresentada pela Polícia Civil.

A família do goleiro Bruno Fernandes de Souza ainda desconfia da versão apresentada pela Polícia Civil para a morte do primo dele Sérgio Rosa Sales. Segundo a advogada dos pais de Sérgio, Adriana Eymar, a namorada do rapaz também não acredita que a motivação do crime seja passional, como garante a corregedoria. ?A namorada do Sérgio só me disse o seguinte: ?doutora, a justiça não foi feita. Não é por esse caminho. Ele jamais me trairia??, conta a advogada. ?A mãe dele admitiu à polícia que Sérgio era mulherengo, mas não acredita que ele tenha chegado ao ponto de mostrar os órgãos genitais, como foi dito pelos acusados, porque não era do caráter dele. Além do mais, eles estavam na rua onde mora a família dele e a namorada?, afirmou Adriana.



Segundo a advogada, a mãe de Sérgio, Ângela, acredita que Alexandre já conhecia Sérgio, embora o suspeito diga o contrário. ?Essas desconfianças na realidade não mudam nada, mas nós vamos acompanhar os desdobramentos. O delegado disse aos pais dele que não há nenhuma outra hipótese que não essa?, disse.

Avó do goleiro Bruno e de Sérgio, dona Estela Souza, de 80 anos, também comenta a conclusão do caso apresentada pela polícia com ressalvas. ?Rapaz é assim mesmo, namorador, mas são tantas versões que a gente finge que está acreditando?. Dona Estela, que criou os dois primos, é taxativa quando o assunto é a acusação contra Bruno sobre a morte de Eliza. ?Não sei da vida dele, mas não tem nada a ver com isso. Bruno está preso, quieto, há tempos não tenho contato com ele porque estou cansada, com dor nas pernas para subir morro e ir visitá-lo no presídio. Só fica mesmo a saudade, mas espero que a confusão tenha acabado?, desabafou.

Fonte: Estado de Minas