Vestígios de sangue em carro de Bruno são de Eliza, diz polícia

A jovem teve um relacionamento com o atleta e está desaparecida desde o início de junho.

A polícia confirmou, nesta quarta-feira (7), que os vestígios de sangue que foram encontrados no carro do goleiro Bruno são de Eliza Samudio. A jovem teve um relacionamento com o atleta e está desaparecida desde o início de junho. Amostras coletadas no veículo foram comparadas com material genético colhido do pai de Eliza, Luiz Carlos Samudio, e do filho dela.

Segundo o delegado Edson Moreira, de Belo Horizonte, também foram encontrados vestígios de sangue de um homem no carro. Moreira disse que deve pedir o material genético dos suspeitos de envolvimento no caso, para fazer uma nova comparação.

Bruno se entregou à polícia, no Rio. Ele e um amigo, Luiz Henrique Ferreira Romão, conhecido como Macarrão, foram até a Polinter do Andaraí, na Zona Norte do Rio. Os dois serão levados para a Divisão de Homicídios, na Zona Oeste. Antes, porém, devem passar pelo Instituto Médico Legal para exame de corpo de delito.

Mais cedo, nesta quarta, policiais entraram na casa em que estaria o corpo de Eliza Samudio, em Vespasiano (MG). De acordo com a Polícia Civil, entraram no imóvel bombeiros, peritos e delegados do Rio de Janeiro e de Minas Gerais com suas equipes.

Policiais disseram que foram retirados do imóvel dez cães da raça rottweiler (sendo quatro adultos e seis filhotes) e um vira-lata. Os animais devem ser levados para o centro de zoonoses de Belo Horizonte.

Entenda o caso

De acordo com a polícia, o sumiço de Eliza começou a ser investigado após denúncias de que ela havia sido agredida no sítio que pertence ao jogador Bruno, em Esmeraldas (MG).

Em 28 de junho, a polícia vasculhou o sítio do goleiro Bruno, por mais de nove horas. Policiais e peritos fizeram escavações e vistoriaram o sótão, onde encontraram roupas de mulher, objetos de criança, fraldas e passagens aéreas. Um poço também foi vasculhado. A polícia já ouviu funcionários do sítio de Bruno e amigas de Eliza.

Em 5 de julho, a polícia recebeu denúncia de que o corpo da jovem foi jogada em uma lagoa, em Ribeirão das Neves (MG). Bombeiros realizaram buscas, mas nada foi encontrado.

O Flamengo anunciou que o goleiro permanece afastado do time durante as investigações. Em 1º de julho, ele disse que estava "muito chateado" com o sumiço de Eliza.

Fonte: g1, www.g1.com.br