Viaturas batem durante perseguição, e o policial que estava de folga morre

Viaturas batem durante perseguição, e o policial que estava de folga morre

Dois carros da polícia se chocaram durante a perseguição. Um policial morreu na hora e outros três ficaram feridos.

O policial militar morto durante uma perseguição em Lages, na Serra catarinense, na noite de terça-feira (3), estaria de folga, mas fez uma troca com um colega porque queria estar livre no domingo (8), quando estava marcado o batizado do filho de 2 anos. ?Estava tudo pronto para o batizado. Estamos muito, muito tristes? disse a sogra de Marcos Antonio Cardoso, Dalma dos Santos.

Dois carros da polícia se chocaram durante a perseguição. Um policial morreu na hora e outros três ficaram feridos. De acordo com o comandante do Batalhão de Polícia Militar de Lages, Roberto Fonseca, as viaturas estavam perseguindo um veículo com suspeitos de participarem de um sequestro que ocorreu na cidade na noite de domingo (1º).

A van em que Marcos estava perseguia um carro suspeito. Em um cruzamento, outra viatura avistou esse mesmo veículo suspeito e também foi atrás, sem respeitar a preferencial. Aí houve o choque entre as duas viaturas. Três policiais ainda estão em observação no hospital. O suspeito conseguiu fugir.

O cabo Marcos, de 47 anos, estava no banco do carona da Kombi no momento do acidente. Com 29 anos como policial, faltava menos de um ano para ele se aposentar. Muitos colegas foram até o velório. Entre a família, o sentimento era de comoção e respeito. ?Ele morreu cumprindo seu dever?, falou a sogra. O enterro vai ser realizado às 17h no cemitério Cruz e Souza, no bairro Triangulo, em Lages.

Um inquérito vai ser aberto para investigar as circunstâncias do acidente.



Entenda o caso

Cerca de 10 familiares de três gerentes de uma agência do Banco do Brasil foram mantidos reféns de domingo (1) até a manhã de segunda (2). Todos foram localizados apenas por volta das 12h20. Durante a operação, foram montadas barreiras e dois helicópteros auxiliaram nos trabalhos.

De acordo com o delegado Belinatti, os gerentes ficaram em um lugar e as famílias em outro. "Os três foram amarrados. Um deles conseguiu se soltar e ligou para a polícia. Nós começamos as investigações para identificar as famílias. Todo cuidado era pouco", completou ele.

Até a tarde desta quarta (4), três suspeitos de participarem do sequestro foram presos. Dois homens foram presos pela Polícia Militar em Fraiburgo. De acordo com a PM, a prisão ocorreu na tarde desta segunda-feira (2), por volta das 14h30, e Valmor da Silva Alves e André Luis Vicente Pinto foram levados para a delegacia de Polícia Civil da cidade localizada na Serra de Santa Catarina.

Eles prestaram depoimento na madrugada desta terça-feira (3). De acordo com o delegado Raphael Belinatti, eles foram reconhecidos pelas vítimas, mas negam a participação no sequestro. O terceiro suspeito doi preso na manhã desta terça (3). Ele teria fugido para o mato após troca de tiros com a polícia em São José do Cerrito e foi preso em Correia Pinto.

Fonte: G1