Assassinato de bebê de 1 ano pode ter sido motivado por vingança contra amante do pai

Assassinato de bebê de 1 ano pode ter sido motivado por vingança contra amante do pai

No dia anterior ao crime, suspeita teria sido espancada pelo pai da menina

A morte de uma menina de apenas um ano e sete meses, assassinada a pauladas pela babá em Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri, teria sido motivada por vingança, segundo a polícia. De acordo com o delegado responsável pelas investigações, João Augusto Ferraz de Araújo, Jeane Fernandes Mota, de 20 anos, era agredida frequentemente pelo namorado, que era pai da criança. No dia anterior ao crime, ela teria sido espancada pelo companheiro.

A aposta da polícia vem sendo confirmada através de depoimentos de testemunhas e por um boletim de ocorrência registrado por Jeane contra o pai do bebê. Há ainda queixas de maus tratos da mulher contra a enteada. De acordo com Araújo, o objetivo é reunir essas provas para confirmar a tese da vingança.

? O dissabor que ela vivia com o namorado era descontado na criança. Estamos reunindo os boletins de ocorrência para comprovar essa questão.

Além de testemunhas, nesta semana o médico legista responsável por analisar o corpo da vítima também foi ouvido. Ele deu detalhes sobre os ferimentos no corpo da criança. Segundo o delegado, é preciso definir o horário provável da morte da menina. O inquérito deve ser encerrado até sexta-feira (11). A suspeita deverá ser indiciada por homicídio qualificado.

Abandono

O delegado já afirmou anteriormente que o pai da menina, Valmir Belizário Ferreira, de 32 anos, também deverá ser indiciado, mas pelo crime de abandono de incapaz, já que "há indícios suficientes" de que isso aconteceu.

Quanto à mãe da criança, que mora em Belo Horizonte e esteve apenas no enterro da filha, o delegado explica que pretende encerrar as investigações quanto ao crime para questionar a relação da mulher com a criança.

? Ela será chamada para prestar declarações quanto ao contato dela com a criança, já que há indícios de que ela não dava assistência à filha.

Fonte: r7