Violência assusta em universidades da capital do Piauí

Violência assusta em universidades da capital do Piauí

Dois homens armados entraram na Uespi, onde acontecia o tradicional Arraiá.

A onda de violência nas universidade públicas de Teresina cresce e assusta os estudantes que frequentam as instituições. O último caso registrado aconteceu na noite de sexta-feira, na Universidade Estadual do Piauí, no campus Poeta Torquato Neto. Dois homens armados entraram na instituição, por volta de 1h, onde acontecia o tradicional Arraiá da Uespi e dispararam tiros contra as

pessoas que estavam na festa.

Segundo a polícia, os disparos aconteceram após uma pessoa reagir a um assalto e disparar um tiro contra a perna de um assaltante. Segundo alunos que estavam no momento, a situação foi esesperadora, no entanto, a assessoria de imprensa da instituição assegura que nenhum estudante

foi atingido com os disparos. ?Esse foi um fato inesperado. Até então estava tudo tranquilo. Além disso,

nas edições anteriores da festa não se tem registro de casos de violência?, disse o estudante do curso de Comunicação Social da Uespi, Márcio de Carvalho.

Esse não é o primeiro caso de violência dentro da instituição. Há aproximadamente dois meses homens

entraram no local e cometeram um assalto na coordenação do curso de Turismo. Essa situação causa receio nos estudantes, que dizem não se sentem seguros dentro do local. ?É ruim e perigoso, principalmente para quem estuda no turno da noite. O local é grande e tem alguns locais que são isolados

e escuros, por isso a sensação de insegurança é muito grande?, desabafa a estudantes Gilciana Alves.

A assessoria de imprensa da Uespi informou que após os últimos casos de violência que aconteceram dentro da instituição o número de seguranças do local foi dobrado. Em relação ao caso dos tiros na festa junina, a assessoria esclarece que este era um evento aberto a toda a comunidade e que era impossível ter o controle das pessoas que entrariam na festa. No entanto, após o acontecido toda a assistência foi dada aos estudantes e demais participantes do evento e a festa foi interrompida para evitar que a situação se agravasse.

Fonte: Pollyana Carvalho