Violência no Parque Poti faz novas vítimas todos os dias

Violência no Parque Poti faz novas vítimas todos os dias

Aldiana é o retrato mais fiel da situação de risco dos moradores do Parque Poti

O pânico e o medo tomam conta do Parque Poti, zona sudeste de Teresina, e a população clama por socorro. No bairro, uma mulher conhecida por Aldiana está sequelada por uma bala perdida e teme não voltar mais a caminhar.

Deitada em sua residência, a mulher percebeu que um tiroteio se formou no lado de fora, instante em que a casa ficou crivada de balas e um dos disparos atingiu a dona de casa que hoje lamenta o ocorrido e pede a Deus que não fique sem caminhar.

Com algumas frases, a vítima comprova sua inocência e se justifica em relação ao ocorrido. ?Eu não sei quem atirou em mim, eu não sei o porquê, eu estava dormindo, aqui em casa ninguém tem ligação com nada, meus irmãos são caminhoneiros, meu marido é militar.?

Aldiana é o retrato mais fiel da situação de risco dos moradores do bairro, situado na zona sudeste de Teresina. O local é perigoso e, segundo os moradores, novas vítimas aparecem todos os dias.

Um campo de futebol abandonado é um dos pontos mais críticos do bairro. Nele, não há iluminação e, à noite, os riscos são muito maiores por ser usado pelos bandidos para o uso de drogas e para a prática do crime.

"Aqui todo dia tem assalto, a gente tem que fechar as portas ainda cedo. Às 19h não tem ninguém nessa rua, todos com medo.?, conclui Aldiana.

Fonte: Denison Duarte