Violência: população da zona sul quer providências para assaltos

Violência: população da zona sul quer providências para assaltos

Moradores, comerciantes, religiosos e líderes comunitários do bairro Santa Clara, zona sul, não afirmam não aguentar mais tanto descaso

A população da zona sul de Teresina foi às ruas nesta quarta-feira, 26, em manifestação por não suportar mais a impunidade. Um dos casos que tem revoltado aos donos de estabelecimentos comerciais é o caso da comerciante Elza Macêdo, que foi assaltada 21 vezes na Avenida Noé Mendes, região do Dirceu, zona sudeste de Teresina.

Moradores, comerciantes, religiosos e líderes comunitários do bairro Santa Clara, zona sul, não afirmam não aguentar mais tanto descaso. Os mesmos bandidos espalham medo e terror em todo o bairro. ?Eles praticam assaltos todos os dias à mão armada, cedo da manhã?, disse uma moradora. ?A gente não pode mais ficar na porta da rua. Nós precisamos fazer manifestação para colocarmos uma companhia de polícia em nossa região?, apela um morador do bairro.

O promotor Benigno Filho diz que está sendo cobrado pelo departamento de Direitos Humanos do Ministério da Justiça para agilidade nos processos. ?Eu quero é encontrar um solução. Eu propus a criação de um mutirão do tribunal do juri que está acontecendo em todo o Brasil, aqui nós estamos essa dificuldade em executar esse mutirão.

Constantino Júnior, do Sindicato dos Policiais Civis, considera que essa cobrança do Ministério Público é necessária para que esses inquéritos cheguem ao Poder Judiciário. ?A dificuldade nos processos é pela estrutura da polícia. Nós estamos com efetivo muito reduzido. nós temos inqueritos de 2007 ainda por concluir. A cobrança do MP é necessária para fazermos uma forca tarefa para que esses processos cheguem ao judiciário?, conclui.

Fonte: Denison Duarte