Vizinha esfaqueada por rapaz que matou a mãe não lembra do caso

"A gente prefere que ela não lembre", afirmou um familiar.

Uma semana depois de ter sido esfaqueada ao tentar socorrer a vizinha assassinada pelo próprio filho, a aposentada Luiza Cristina Borges continua internada. A mulher não consegue se lembrar de nada que aconteceu no prédio da zona Sul de São Paulo.

O estudante Felipe Farina matou a mãe Suely Guerra Farina e feriu além de Luiza a empresária Márcia Cristina Gonçalves de Oliveira. Márcia ficou três dias internada e teve alta na última sexta-feira. Ela sofreu um traumatismo craniano e diversos cortes pelo corpo, entre eles um que rompeu o tendão do pé.

"Se não tivesse com bota de couro tinha arrancado o pé dela fora também", disse um familiar. Segundo a Polícia Civil, Felipe amputou um dos pés da mãe e ainda tentou, sem sucesso, cortar o outro após matá-la..

Luiza, no entanto, segue internada no Hospital São Paulo, também na Zona Sul. Segundo Danilo Pulvirenti, sobrinho dela, a aposentada já está fora de risco, mas permanece em observação por conta de um grande coágulo de sangue que se formou na região da nuca.

Apesar da melhora, Luiza ainda não tem quase nenhuma lembrança do ocorrido e, de acordo com o sobrinho, chegou a não reconhecer o próprio filho nos primeiros dias após o ataque. "Ela teve uma perda de memória, acho que pelo susto. Agora já começou a retomar melhor a memória, mas não lembra muito do que aconteceu no dia. Isso aí ela não consegue lembrar. A gente prefere até que ela não lembre", afirmou Pulvirenti.

Suely e Felipe (Crédito: Reprodução)
Suely e Felipe (Crédito: Reprodução)


Fonte: Com informações do G1