Confira foto e saiba tudo sobre prisão do traficante Zé Cobra

A Polícia Federal afirma que a quadrilha é responsável por vários assassinatos e roubos na região

Após um trabalho silencioso de oito meses de investigações, a Polícia Federal em Parnaíba monitorou as rotas de entrada de drogas da maior quadrilha de traficantes da região, liderada por José Araújo Miranda, mais conhecido por Zé Maria Cobra. A Polícia Federal afirma que a quadrilha é responsável por vários assassinatos e roubos na região.

O superintende regional do Departamento de Polícia Federal no Piauí, Eriosvaldo Renovato Dias, disse que antes da ?Operação Peçonha? ser deflagrada foi realizado um trabalho de forma silenciosa para adquirir elementos que comprovem a atuação da quadrilha.

A operação tem por objetivo cumprir 22 mandados de prisão e 27 de busca e apreensão. ?Com essa operação tiramos de circulação, eu diria que, a maior quadrilha de tráfico de drogas da região. Certamente a sociedade do litoral piauiense terá mais tranqüilidade daqui pra frente?, declarou Dias.

José Araújo Miranda, mais conhecido por Zé Maria Cobra, quando chegou à delegacia de Polícia Federal. Foto: Juciê Machado/Portal Costa Norte

O delegado de Polícia Federal, Marcos Roberto, disse que foram monitorados três núcleos de entrada de drogas tendo como destino a pessoa de José Araújo Miranda. O primeiro núcleo de Sobral onde era enviada a droga via Chaval no Ceará, entrava por Luiz Correia e chegava finalmente até Parnaíba.

O segundo núcleo vinha de Fortaleza em um ônibus de linha normal, ou de carro. E o terceiro de São Paulo, capital, de onde foram apreendidos 15 quilos de cocaína. ?Nós conseguimos monitorar essa quadrilha e consequentemente saber quem eram os seus fornecedores, como a droga chegava a Parnaíba. Fizemos a apreensão de algumas quantidades de drogas que eram enviadas para a quadrilha aqui ao principal traficante da cidade que era o Zé Maria Cobra e a partir daí nós traçamos o perfil do fornecedor da quadrilha de Parnaíba e a rota da droga?.

Também foi revelado pela polícia os nomes dos autores do assassinato de Manjuba, as pessoas conhecidas por Ângelo, Juninho, que já está preso e Valtinho, que segundo o delegado, são comparsas de ?Cobra? e mataram por ciúme. As prisões que foram efetuadas são temporárias e tem validade de 30 dias por se tratar de crime hediondo. ?Consequentemente iremos transformar essas prisões em prisões preventivas?, concluiu Roberto.

Fonte: Portal Costa Norte, www.portalcostanorte.com