Zelador de prédio é preso em Niterói, no RJ, suspeito de matar moradora

Andréia Lima da Silva, de 40 anos, foi encontrada morta na segunda (5). Suspeito tinha cinco passagens pela Polícia pelo crime de estupro.

O zelador de um prédio residencial que fica no bairro do Barreto, em Niterói, Região Metropolitana do Rio, foi preso nesta terça-feira (6) suspeito de matar a moradora Andréia Lima da Silva, de 40 anos, encontrada morta no terraço do edifício, com indícios de violência sexual e agressão física. Segundo o delegado Wellington Vieira, da Divisão de Homicídios (DH) de Niterói, ela estava desaparecida desde a madrugada de domingo (4). O suspeito identificado como Joelson José de Souza, de 39 anos, tinha cinco passagens pela polícia pelo crime de estupro.



Andreia Lima da Silva, encontrada morta em terraço do próprio prédio onde morava, em Niterói, Região Metropolitana do Rio, tinha dois filhos (Foto: Reprodução/ Facebook)

De acordo com a DH, o corpo da vítima foi encontrado na manhã de segunda-feira (5), na sala de máquinas do prédio, local acessado apenas por funcionários, que fica no terraço. Os exames indicaram que ela morreu na madrugada de segunda, e em seu corpo havia marcas de espancamento, cortes nos pulsos e no pescoço, além de sinais de golpes na coluna. Andreia, que tinha dois filhos, havia chegado em casa por volta das 2h de domingo, após sair com o namorado.

Vinte e duas testemunhas do caso já tinham sido ouvidas até a manhã desta terça-feira (6), entre vizinhos, outros funcionários do prédio, amigos e familiares da vítima.

A suspeita dos agentes da Polícia Civil é que Andréia tenha subido de escadas até a sala de máquinas, onde também foram encontrados preservativos. Na sala, não havia câmeras de segurança. A princípio, os policiais trabalhavam com a possibilidade de suicídio, por causa dos cortes nos pulsos. Mas depois, encontraram as marcas de golpes.

Nesta terça, policiais vão fazer uma busca especial em todo o edifício pela arma utilizada pelo criminoso. Eles consideram que o suspeito conhecia bem o local. No primeiro depoimento, ele teria negado o crime, mas depois disse que só falaria em juízo. Joelson será interrogado pela terceira vez nesta terça.

Fonte: G1