170 servidores ganham salário acima do teto; maior é de R$ 32 mil

170 servidores ganham salário acima do teto; maior é de R$ 32 mil

Maiores salários são de analistas legislativos com curso superior

Embora o teto salarial permitido aos servidores públicos seja de R$ 26,7 mil, na Câmara dos Deputados, 170 servidores possuem contracheques que ultrapassam os valores do teto. Para este grupo, o salário líquido, com os descontos abatidos, chega a R$ 32 mil, segundo dados da Diretoria Legislativa da Casa.

Destes 170 servidores, 140 são aposentados e outros 30 ainda estão na ativa. Os cargos específicos ainda não foram divulgados pela Casa, mas, segundo a diretoria, são de analistas legislativos, que englobam servidores com diferentes cursos superiores, como engenharia e administração. Os valores ultrapassam o teto permitido porque horas extras e funções comissionadas são somadas às remunerações.

Ainda nesta terça (31), Câmara e Senado pretendem divulgar a remuneração dos servidores em suas páginas na internet. Na segunda-feira (30), o Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo Federal e do Tribunal de Contas da União (Sindilegis) conseguiu uma liminar [decisão provisória] que suspendeu a divulgação nominal dos salários, tanto na Câmara quanto no Senado. A divulgação, prevista para ocorrer até a meia-noite desta terça, deverá conter apenas carga e número de matrícula do servidor, além do valor do salário.

De acordo com a Diretoria Legislativa da Câmara, ao todo 1,3 mil servidores recebem valores brutos acima do teto, mas apenas 170 recebem líquido R$ 32 mil. Nos demais casos, todos são valores brutos, que, segundo a direção da Câmara, são reduzidos para o valor permitido pelo teto, de R$ 26,7 mil. O maior salário bruto pago na Câmara é de R$ 43 mil e abrange 12 servidores da Casa. Segundo a Diretoria Legislativa, todos são analistas legislativos.

Média

Segundo a Diretoria Legislativa, a média de salários pagos na Câmara chega a R$15 mil. Nestes casos estão técnicos e auxiliares legislativos, que possuem apenas o nível básico de instrução. Motoristas e copeiros da Casa, por exemplo, estão incluídos neste grupo de remuneração.

Dados já divulgados pela Câmara mostram que servidores com o cargo de auxiliar legislativo, que têm vencimento básico de R$ 1.996,27, podem chegar uma remuneração final de R$ 7.147,11, sem contar as horas extras. No caso de auxiliar legislativos de nível A, que têm o menor salário base, de R$ 483,74, o vencimento final chega a R$3.185,54, sem contar horas-extras e funções comissionadas

Fonte: G1