70% do eleitorado do Estado usará urnas biométricas em 2016

O processo de revisão eleitoral no Piauí iniciou em 2009

O Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI) iniciou no mês passado a nova etapa do recadastramento biométrico de eleitores no Estado, para o biênio 2015/2016. Nesta etapa serão contempladas 35 Zonas Eleitorais, englobando 86 municípios.

Ao todo serão convocados mais de 750.000 eleitores, o que representa mais de 33% do eleitorado do Estado. O TRE-PI estima que até o fechamento do cadastro eleitoral para as eleições municipais de 2016, 70% do eleitorado piauiense esteja cadastrado com dados biométricos. O processo de revisão eleitoral no Piauí, com o cadastramento de dados biométricos dos eleitores, iniciou em 2009.

Até o momento fizeram recadastramento biométrico os municípios de Piracuruca, Piripiri, Francisco Santos, Picos, Floriano, Parnaíba, Luís Correia, Cajueiro da Praia Ilha Grande, Oeiras, José de Freitas, Teresina e Nazária.

Já estão sendo recadastrados biometricamente, desde 04 de maio último, indo até 30 outubro de 2015, os eleitores dos municípios de Barras, Boa Hora, Cabeceiras, Campo Maior, Jatobá do Piauí, Nossa Senhora de Nazaré, Sigefredo Pacheco, São Raimundo Nonato, Anísio de Abreu, Bonfim do Piauí, Coronel José Dias, Dirceu Arcoverde, Dom Inocêncio, Fartura do Piauí, Jurema, São Braz do Piauí, São Lourenço do Piauí e Várzea Branca.

Para realizar o seu recadastramento o eleitor deverá apresentar os seguintes documentos: Título de eleitor (original), comprovante de endereço (original e cópia) e documento de identidade oficial com foto (original e cópia). O comparecimento é obrigatório. Caso o eleitor não compareça terá o seu título cancelado.

O recadastramento biométrico é obrigatório. Caso o eleitor não o faça terá seu título cancelado, o que implicará em uma série de impedimentos. Dentre os principais podem ser elencados: obter passaporte ou carteira de identidade, receber salários, obter empréstimos em bancos oficiais.

O cancelamento do título eleitoral acarretará também em dificuldades para nomeação e investidura em cargos públicos, renovação de matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo, bem como obtenção de certidão de quitação eleitoral ou qualquer documento perante repartições diplomáticas a que estiver subordinado.


Fonte: Jornal Meio Norte