Advogados de Arruda pedem revogação de prisão

Arruda pediu a revogação da prisão horas antes do julgamento, no Tribunal Regional Eleitoral (TRE)

Os advogados do governador preso do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido), entraram nesta terça-feira (16) no Superior Tribunal de Justiça (STJ) com um pedido de revogação da prisão preventiva. Arruda teve a prisão decretada, junto com outras cinco pessoas, pelo próprio STJ em 11 de fevereiro por conta da tentativa de suborno de uma testemunha do inquérito 650DF, que resultou na Operação Caixa de Pandora e revelou um esquema de propinas nos poderes Executivo e Legislativo.

A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do STJ. Porém, até o momento não foram divulgados os argumentos usados pela defesa do governador. Arruda pediu a revogação da prisão horas antes do julgamento, no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), do pedido de cassação de seu mandato, feito pelo Ministério Público Eleitoral, por infidelidade partidária. O pedido de revogação da prisão será analisado pelo ministro Fernando Gonçalves, relator do processo que investiga o mensalão do Arruda.

De acordo com a assessoria do órgão, após analisar o caso, Fernando Gonçalves deve submeter o pedido de revogação à corte especial. Ele agiu da mesma maneira quando decidiu apresentar a prisão preventiva de Arruda ao colegiado formado pelos ministros mais antigos da corte. Segundo a assessoria do STJ, não existe previsão para a análise. Porém, Gonçalves já pediu aposentadoria do cargo, ficando na corte até 0 fim da semana.

Arruda se desligou do Democratas (DEM), em dezembro do ano passado, após a revelação das gravações em que ele e deputados distritais da base aliada aparecem recebendo dinheiro do ex-secretário de Governo, Durval Barbosa.

Fonte: Congresso em Foco