Aedes: 'Estamos correndo atrás de décadas de abandono', diz Dilma

Presidente acompanhou pessoalmente ações de combate ao mosquito.

No sábado, dia 13 de fevereiro, Dilma Rousseff, que acompanhou pessoalmente ações de combate ao Aedes aegypti pela ruas de  Santa Cruz, no Rio de Janeiro, afirmou que o 'surto' de casos de doenças relacionados ao mosquito que transmite dengue, chikungunya e zika, se deve, em grande parte, à ausência de politicas de saneamento em governos anteriores. 

"No passado ganhamos a guerra contra a febre amarela, e vamos ganhar contra o zika vírus. Estamos correndo atrás de décadas de abandono na questão do saneamento. Estamos fazendo esse esforço científico e tecnológico no sentido de assegurar que tenhamos o mais rápido possível essa vacina (contra o zika). Estamos colocando toda a estrutura do Ministério da Saude, toda a nossa estrutura de pesquisa, em busca de uma vacina", disse em en trevista ao  jornal O Globo.

Dilma pediu o auxilio da população para conseguir, de vez, conter os casos da doença que, de acodo com ela, é um desafio a ser vencido. "Em média, no Brasil, dois terços dos criadouros estão dentro das residências. Por isso, precisamos da mobilização da população. O governo está fazendo a sua parte, mas precisamos também que a população esteja engajada. Temos esse grande desafio, temos que nos mobilizar para que o combate seja vitorioso", acrescentou. 

Segundo a chege do poder executivo, as escolas possuem  possum papel importante nesta luta: informar e conscientizar. "Vamos fazer campanhas específicas nos colégios porque sabemos que as crianças têm um grande poder persuasório (sic) com os pais. Ainda que não combata diretamente o mosquito, pode levar a mensagem de combate", declarou.

Dilma Rousseff,
Dilma Rousseff,


Fonte: Com informações do OGlobo