Afastado da Casa Civil, Gaievsk começou vida política no Paraná

Afastado da Casa Civil, Gaievsk começou vida política no Paraná

Afastado, Eduardo André foi prefeito de realiza por dois mandatos

Afastado do cargo de assessor especial do gabinete da Casa Civil do governo federal neste sábado, Eduardo André Gaievski (PT) foi prefeito da pequena cidade paranaense de Realeza por dois mandatos.

Ele venceu a eleição municipal de 2004 com 5.855 (66%), o dobro do segundo colocado Leandro Sassi, do PPS (33%). Foi reeleito quatro anos depois com uma vantagem ainda maior: obteve 8.242 votos (83%) contra 1.636 (16%) do opositor, Romar Cerutti (DEM).

Gaievski encerrou seu período de oito anos à frente do Executivo Municipal da pequena cidade de 16 mil habitantes no sudoeste do Paraná em 2012. Saiu comemorando os resultados de sua gestão: disse que deixava dinheiro no caixa na Prefeitura e que tinha conquistado seu objetivo de recuperar a autoestima da população.

Na cerimônia de posse do novo prefeito, também do PT, Gaievski fez um desabafo: ?antes, ninguém diria que filho de pobre poderia chegar a esse cargo. Mas consegui vencer o preconceito?, disse ele em seu discurso de despedida, de acordo com o portal local RealezaNews.

Menos de um mês após deixar a prefeitura, no dia 24 de janeiro deste ano, Gaievski foi nomeado assessor especial do gabinete da Casa Civil pela ministra Gleisi Hoffmann. Sua função era cobrar dos ministérios, dos Estados e dos prefeitos que as ações sejam realmente implementadas e cumpridas, segundo o noticiário da época.

Sete meses após assumir o cargo, Gaievski foi afastado do cargo neste sábado. A Casa Civil informou em nota que ele "pediu afastamento imediato de suas funções até que sejam apuradas as circunstâncias e veracidade das acusações".

De acordo com a versão eletrônica da revista Veja, Gaievski é investigado por estupro de vulneráveis e teve a sua prisão preventiva decretada nesta sexta-feira. Ele negou as acusações e disse que iria provar a sua inocência.

Segundo a publicação, um inquérito tramita em segredo de Justiça no fórum de Realeza. O inquérito teria reunido depoimentos de supostas vítimas. Elas apontam que Gaievski oferecia dinheiro a meninas pobres em troca de sexo.

Fonte: JB