Alepi: Deputados discutem hoje terceirização na Agespisa; saiba

O debate também contará com a participação de dirigentes de entidades sindicais e comunitárias

A proposta de subdelegação parcial de serviços prestados pela Agespisa (Empresa de Águas e Esgotos do Piauí) será discutida nesta quinta-feira em audiência pública na Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi). A audiência foi proposta pela deputada Margarete Coelho (PP) e o deputado Evaldo Gomes (PTC), para que o presidente da empresa, Raimundo Neto, pudesse explicar aos deputados os detalhes da proposta que vem sendo estudada pelo Governo do Estado, em que 30% dos serviços prestados pela empresa na capital sejam repassados a uma empresa privada. A reunião será realizada na sala da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

O debate também contará com a participação de dirigentes de entidades sindicais e comunitárias. Alguns parlamentares, no entanto, já se manifestaram contra a subdelegação. Para o deputado do PT, Cícero Magalhães, a proposta de concessão de 30% do abastecimento da capital, compreendendo a região Sudeste e a Grande Maria da Codipi para a iniciativa privada, seria ilegal. ?Nós já havíamos aprovado requerimento convidando o presidente da Agespisa para explicar a situação da empresa e mais uma vez aprovamos requerimento de igual teor?, reclamou o deputado.

O presidente da Casa, deputado Themístocles Filho (PMDB), ressaltou que o presidente da Agespisa vai deixar o cargo no início de dezembro e quando isso ocorrer um novo presidente será indicado e sabatinado pelo Legislativo.

?Enquanto isso, Raimundo Neto ou outro diretor da empresa poderá comparecer à audiência pública para ouvirmos dele qual a real situação da Agespisa?, frisou.

Segundo a deputada Rejane Dias (PT), os servidores da Agespisa estariam apavorados com a situação e com a informação de que parte dos serviços da em- presa será terceirizada. ?Se há a concessão pelo município dos serviços de abastecimento e esgotamento sanitário de áreas da capital, haverá muita polêmica em relação a proposta de terceirização?, advertiu.

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte