Aliados de Eduardo Cunha também são alvos da Operação Lava-Jato

A estratégia dos aliados é aprovar um relatório paralelo

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, é acompanho de uma verdadeiro tropa de choque. Seus aliados estão envolvidos em crimes e esquemas de corrupção, como o deputado Wellington Roberto.

Eduardo Cunha (Crédito: Reprodução)
Eduardo Cunha (Crédito: Reprodução)


Os aliados de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), pretendem realizar uma nova manobra para tentar salvá-lo da cassação do mandato no Conselho de Ética. Nesta terça-feira, data prevista para a votação do relatório de Fausto Pinato (PRB-SP), que recomenda a continuidade das investigações, deputados da tropa de choque do peemedebista devem apresentar um relatório paralelo pedindo que as investigações se restrinjam apenas à fala de Cunha na CPI da Petrobras.

A estratégia dos aliados é aprovar um relatório paralelo, que poderia resultar em uma punição mais branda que a cassação, como o afastamento temporário do cargo. Anteriormente, o grupo tentou emplacar uma pena de "censura escrita" ao peemedebista, mas a alternativa foi rechaçada no Conselho de Ética.


Fonte: Com informações do OGlobo