Americano assume culpa por complô para tentar matar Obama, diz governo

Ataque iria ocorrer em 2008, durante a campanha eleitoral.

Foto divulgada pela Justiça mostra Daniel Cowart e Paul Schlesselman, suspeitos de planejar um complô para matar o candidato democrata à Presidência dos EUA, Barack Obama. As fotos são de 2008. (Foto: AFP)

Um norte-americano se declarou culpado nesta segunda-feira (29) das acusações de conspiração para matar afroamericanos, incluindo o então candidato à Presidência dos Estados Unidos Barack Obama, informou o Departamento de Justiça.

Daniel Cowart, de 21 anos, de Bells, no Tennessee, disse que havia traçado com Paul Schlesselman, de West Helena, no Arkansas, perpetrar um complô racista para matar dezenas de pessoas.

Ele disse que havia planejado chegar ao ponto mais alto do ataque ao assassinar Obama, então senador e candidato presidencial.

"Apesar do grande progresso dos direitos civis, esta conspiração impensável serve como um lembrete de que a violência alimentada pelo ódio continua a ser muito comum no nosso país", afirmou Thomas Perez, procurador-geral adjunto para a divisão de Direitos Civis do departamento.

Sob os termos do acordo de confissão, Cowart pode ser sentenciado a entre 10 e 75 anos de prisão. Schlesselman se declarou culpado em janeiro de três acusações e pode pegar 10 anos de prisão sob o mesmo acordo.

Fonte: g1, www.g1.com.br