Antônio Neto: “Só serei candidato se for para aglutinar a base”

Preferindo cautela, Neto afirma que seu nome estará a disposição do partido, mas que só será candidato a governador se seu nome for consenso para base

Mesmo sem ter anunciado ainda qual seria o pré-candidato que encabeçaria a base governista, as especulações são de que o ex-secretário Antônio Neto (PT) ressurgiria no cenário como o escolhido por Dias para ser o candidato a governador do Estado nas eleições deste ano. Preferindo cautela, Neto afirma que seu nome estará a disposição do partido, mas que só será candidato a governador se seu nome for consenso para aglutinar a base aliada.

Enquanto isso, o ex-secretário enfatiza que ?está dando viabilidade à sua candidatura a deputado federal?. ?Estamos a disposição da escolha do governador. Repito que, para mim seria uma honra se o governador me desse essa missão, que envolve a vida de milhares de piauienses. Mas só serei candidato se for para aglutinar a base?, enfatiza, acrescentando que o governador decidiu que permaneceria no cargo ?em nome de um projeto maior?.

Antônio Neto analisou que o cenário atual é diferente do vivenciado no ano passado, onde seu nome era o indicado como pré-candidato petista ao Governo do Estado. Com a ?troca de Antônios?, realizada no início do ano, devido ao baixo desempenho de Neto nas pesquisas, o nome do ex-secretário está de volta ao cenário, em substituição ao do secretário de educação, Antônio José Medeiros (PT).

Enquanto isso, Neto acrescenta que, no momento de afunilamento das decisões há muito diálogo e conversas com as lideranças de todos os 12 partidos governistas. ?Cada partido tem uma dinâmica própria que deve ser trabalhada internamente. E é assim que cada um está trabalhando os nomes junto às lideranças?, pontua, lembrando que o anúncio do candidato deverá ser feito pelo governador após a Semana Santa. ?As especulações não ajudam. Atrapalham esse processo e trazem inquietação nos partidos e na população?, diz.

Indagado sobre a polarização da disputa entre seu nome e do prefeito Sílvio Mendes (PSDB), Neto afirmou que, se assim for, será uma evolução na política. ?Serão trabalhados critérios técnicos, onde serão discutidos projetos?, analisa, aproveitando para criticar candidatos que ?barganham cargos?. ?Transformar cargo em barganha não é política. Só vejo a política como forma de servir?, conclui. (M.M)

Fonte: Mayara Martins