Ao lado de artistas, Dilma lança plano contra acidentes no trânsito

Ao lado de artistas, Dilma lança plano contra acidentes no trânsito

Em discurso, atriz Cissa Guimarães lembrou filho que morreu atropelado. Segundo OMS, Brasil é 5ª colocado entre países recordistas em acidentes.

A presidente Dilma Rousseff lançou nesta sexta-feira (21) uma campanha permanente de conscientização no trânsito com o objetivo de diminuir o número de mortes nas estradas e ruas do país.

A campanha faz parte da Semana Nacional de Trânsito 2012, cujo tema deste ano é ?Não exceda a Velocidade. Preserve a Vida?.

A cerimônia de lançamento, no Palácio do Planalto, teve presença de artistas que, juntamente com a presidente Dilma Rousseff, assinaram o Pacto pela Redução de Acidentes. Participaram a cantora Paula Fernandes, o ator Marcelo Tas, os jogadores de vôlei Virna e Nalbert, o ex-piloto de Fórmula 1 Émerson Fittipaldi, e a atriz Cissa Guimarães, cujo filho mais novo, Rafael Mascarenhas, morreu atropelado há dois anos.

A campanha faz parte do Pacto Nacional pela Redução de Acidentes (Parada ? Um Pacto pela Vida), lançado em maio de 2011 e coordenado pelo Ministério das Cidades. As ações do Parada, antes sazonais, agora serão permanentes, segundo informou a pasta.

Em discurso no Palácio do Planalto, a presidente Dilma afirmou que o governo é responsável por prevenir os acidentes, uma vez que elevou a classe média e, com isso, o número de veículos no trânsito.

"Cada vez mais que nos tornamos um país desenvolvido e um país de classe média e que temos essa quantidade de veículos em circulação. É exigido de nós [...] a reponsabilidade com a vida em sociedade e com os valores relativos à civilidade nessas relações", disse Dilma.

"Que a gente não seja, eu diria de uma forma muito forte, não sejamos cúmplices quando nos omitimos. Isso significa também que temos de tomar aquelas medidas necessárias para que haja uma correspondência entre essa realidade e a legislação", completou.

A presidente também pediu a colaboração da indústria automobilística. "Nós precisamos de, numa relação muito cooperativa com a indústria, elevar o padrão de segurança dos nossos automóveis."

Segundo ela, o governo tem feiito sua parte no que se refere à melhoria das estradas brasileiras e no investimento a transporte público.

"Juntos podemos fazer do trânsito uma oportunidade de exercitar nossa solidariedade e nossa prudência. Nossa cidadania e nosso respeito a esse bem que todos nós sabemos que é o mais precioso de todos, que é a vida", discursou a presidente.

Dados da OMS

De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil ocupa a 5ª colocação entre os países recordistas em acidentes de trânsito, atrás da Índia, da China, da Rússia e dos Estados Unidos.

De acordo com o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, a cada ano, 42 mil pessoas morrem em acidentes de trânsito. ?Temos que diminuir uma estatística com a qual não queremos nem podemos mais conviver?, declarou o ministro.

A meta do Parada é reduzir em 50% o número de óbitos no período entre 2011 e 2020, conforme resolução da OMS assinada pelo Brasil. ?Não podemos continuar desperdiçando nosso futuro?, afirmou o ministro. ?Não podemos sobretudo desperdiçar tantas vidas e permitir que tantas famílias sejam atingidas por fatalidades que poderiam ser evitadas?.

O ministério planeja realizar ações pontuais em grandes eventos festivos pelo país. No mês de outubro, por exemplo, haverá distribuição de kits e campanha de conscientização para o público do festival de música Planeta Terra e da Oktoberfest.

Fala emocionada

A atriz Cissa Guimarães discursou durante a cerimônia e criticou a pena para quem provoca morte no trânsito, atualmente de, no máximo, quatro anos. Bastante emocionada, ela vestia uma camiseta com a foto do filho. A presidente Dilma também usou a camiseta com a imagem de Rafael Mascarenhas durante todo o evento.

?Precisamos fazer um pacto para que nossos legisladores criem e melhorem as condições de penalizar quem comete crimes contra a vida no trânsito?, disse a atriz. ?Que os agentes públicos se sintam comovidos com quem perdeu seus entes queridos?, declarou.

A campanha tem apoio da Federação Internacional de Automobilismo (Fia) e do Instituto Emerson Fittipaldi. Na semana passada, o ex-piloto de Fórmula 1, em parceria com o Ministério das Cidades, promoveu o World Endurance Championship ? 6 Horas de São Paulo, evento automobilístico para promover a campanha.

Fonte: G1