Ao lado de Dilma, Lula defende continuidade de seu governo

Pré-candidata lembrou ditadura e disse ter ideias para ‘seguir adiante’.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu nesta quinta-feira (8), durante cerimônia de apoio do PCdoB à pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, a continuidade do projeto de governo implantado em sua gestão.

?Tenho que tomar cuidado com as palavras porque sou presidente da República e de vez em quando sou multado. Só digo uma coisa, sem citar nomes: temos a obrigação de fazer com que o projeto que recuperou esse país continue, para fazer mais e melhor durante muito mais tempo?, disse.

Durante seu discurso, Lula voltou a criticar a imprensa, dizendo que jornalistas se negam a enxergar as realizações do governo. Ele disse que ao final do mandato vai pedir relatórios detalhados a seus ministros, sobre projetos realizados e gastos, para enviar a universidades e entregar para militantes e jornalistas.

?Quem não quis enxergar durante os oito anos vai enxergar. Porque eles [jornalista] dizem ?é, mas não parece?. Eu vou dizer: ?É, parecia e a gente não enxergava??, afirmou. O presidente disse ainda que o PT e seus aliados estão preparados para enfrentar qualquer debate durante a campanha eleitoral.

?A eleição não vai ser fácil, mas estamos preparados. Nenhum de nós tem que ter vergonha de debater nenhum assunto. Não existe, em comparação com qualquer um deles. Não temos que ter vergonha de debater?, disse.

Dilma

Durante o evento, Dilma agradeceu o apoio do PCdoB e disse que o novo presidente precisa ?ter novas ideias? para fazer ?ainda mais? pelo país. Dilma fez alusão a sua participação na militância política durante ditadura militar.

?Só pode construir o futuro quem soube lutar no passado, quem soube travar a boa luta. Só pode construir no futuro quem soube construir no presente e tem novas ideias para seguir adiante. E quem tem companheiros corajosos que não recuaram diante da mais difícil luta, inclusive com a própria vida?, disse.

A ex-ministra fez ainda referência à greve dos professores em São Paulo, estado que era administrado até a semana passada por José Serra, pré-candidato do PSDB à Presidência. Dilma disse que vai ?continuar ?a melhorar a educação e as condições de trabalho dos professores, sem ?colocar polícia na rua? para reprimir manifestações.

? Não vamos colocar polícia nas ruas para bater em professor?, disse. Ela também voltou a criticar os supostos ?lobos em pele de cordeiro?. Segundo ela, a oposição quer ?desfazer o que está sendo feito?.

Crack Dilma defendeu uma mobilização de toda a sociedade no combate às drogas. Segundo ela, o crack é o inimigo número um do país. A pré-candidata também criticou a liberalização das drogas, mas disse que não basta investir apenas em repressão.

?Não há lugar mais para o falso liberalismo que defende discurso da liberalização das drogas?, disse. ?A repressão é necessária , mas não suficiente. Prevenção, tratamento e repressão precisam dar as mãos?, defendeu Dilma.

Críticas ao PSDB

Durante seu discurso, o presidente do PcdoB, Renato Rabelo, elogiou Dilma e criticou a oposição. Rabelo também criticou empréstimos tomados pelo Brasil do Fundo Monetário Internacional. ?

Fonte: g1, www.g1.com.br