Após eleição, Wilson e Sílvio ainda devem se enfrentar na Justiça

O fogo cruzado de ações impetradas pelas coligações eleitorais que concorreram no segundo turno no Piauí continua

            O fogo cruzado de ações impetradas pelas coligações eleitorais que concorreram no segundo turno no Piauí continua, apesar do fim da disputa nas urnas. O advogado Willian Guimarães, chefe da assessoria jurídica da coligação ?Para o Piauí seguir mudando?, encabeçada pelo governador reeleito Wilson Martins (PSB), destacou que ?não estão descartadas? novas ações contra a coligação ?A Força do Povo?, do ex-prefeito Sílvio Mendes (PSDB).

 

            ?Estamos analisando, não estão descartadas novas ações?, disse Guimarães, lembrando que no último dia 29 de outubro a coligação ingressou com uma ação classificada por ele como um ?fato gravíssimo? contra Sílvio Mendes. A ação está relacionada à contratação sem concurso de quase 300 servidores apenas na Fundação Municipal de Saúde (FMS) e inclui além de Sílvio, o deputado estadual eleito, Firmino Filho (PSDB).

 

            De acordo com o pedido de investigação judicial registrado na Corregedoria Geral da Justiça Eleitoral, as contratações teriam ocorrido pouco antes de Sílvio e Firmino deixarem o cargo de prefeito e de presidente da FMS, respectivamente. A coligação ?A Força do Povo?, por outro lado, ajuizou ao todo 12 ações solicitando a cassação do registro e perda do mandato de Wilson Martins.

 

            Em relação aos processos que a coligação deverá responder na Justiça, Willian disse que essa não é uma ?preocupação?. ?Não estamos preocupados. A própria diferença de votos do pleito, que chegou a mais de 200 mil em comparação com o adversário, inviabiliza qualquer ação. A vitória por si só demonstra a vontade popular?, retrucou o advogado. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte