Após nova recusa, PT sonda PTB para a vice de Fernando Haddad

Após nova recusa, PT sonda PTB para a vice de Fernando Haddad

Ele tentou emplacar o socialista Pedro Dallari, que recusou.

Depois de a deputada Luiza Erundina (PSB-SP) abandonar a disputa em protesto contra a aliança com o PP de Paulo Maluf, o pré-candidato do PT a prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, ouviu mais um "não" na busca por um companheiro de chapa.

Ele tentou emplacar o socialista Pedro Dallari, que recusou. Diante do impasse, a cúpula do PT passou a usar a vaga para tentar atrair o PTB e fechar mais uma aliança de última hora na disputa.

Amigo do pré-candidato, Dallari alegou constrangimento por ser ligado a Erundina e disse ter projetos acadêmicos ao rejeitar o convite. Sua negativa foi confirmada pelo presidente municipal do PSB, Eliseu Gabriel.

A direção petista, então, retomou o assédio a dois partidos aliados ao governo federal que também têm pré-candidatos a prefeito: o PTB, de Luiz Flávio Borges D"Urso, e o PDT, de Paulinho da Força.

"Se pudermos usar a vice para aumentar a aliança, faremos do limão uma limonada", disse o líder do PT na Câmara, Jilmar Tatto.

D"Urso, que liderou o movimento "Cansei" contra o governo Lula, disse que a sondagem para a vice foi feita pelo presidente do PT-SP, Edinho Silva, ao deputado estadual Campos Machado (PTB). "Fiquei honrado. Se o partido fechar o acordo, vou aceitar a vice", afirmou ele.

Maluf, que também participou das conversas, não quis falar. O presidente nacional do PTB é o deputado cassado Roberto Jefferson, autor da denúncia do mensalão e responsável por deflagrar a maior crise da história do PT.

À noite, Campos Machado confirmou a sondagem, mas disse descartar a aliança. Os petistas prometiam insistir.

Haddad se manteve afastado da nova investida, mas sem desautorizá-la. Ontem ele evitou aparições públicas e cancelou a ida à Rio+20 com o ex-presidente Lula.

Segundo integrantes da campanha, o petista teme novo desgaste após a saída de Erundina e a repercussão negativa das fotos com Maluf. Por isso, defende a escolha de um vice do PSB ou do PC do B --que mantém a pré-candidatura de Netinho de Paula, mas deve apoiá-lo.

Ontem Haddad ofereceu café da manhã a dirigentes do PC do B e fez um apelo para que eles apressem a adesão. Diante da resistência à deputada estadual Leci Brandão, a sigla sugeriu a entrega da vice a Nádia Campeão, secretária de Esporte na gestão da ex-prefeita Marta Suplicy. O vereador Jamil Murad também passou a ser cotado.

MALUF

O coordenador da campanha, vereador Antonio Donato (PT), disse que a definição da chapa será adiada até que a coligação esteja definida. "Após a consolidação desse arco de alianças é que discutiremos a questão da vice."

Ele defendeu a aliança com Maluf, que irritou militantes petistas. "Aparentemente é uma contradição, não vou negar isso", disse. "Quem está no jogo precisa jogar o jogo que existe, não o de um mundo ideal que não existe."

Sobre o fato de o ex-prefeito ser procurado internacionalmente pela polícia, ele disse: "Quem cuida da ficha na Interpol é a Justiça e o Ministério Público, não sou eu."

Fonte: Folha.com