Após protesto do PCO, TRE-PI reforça segurança

A ex-candidata do PCO ao Governo estadual, Lourdes Melo, fez um protesto na manhã de ontem, no plenário do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PI)

O protesto da ex-candidata do PCO ao Governo estadual, Lourdes Melo, na manhã de ontem, no plenário do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PI), teve como saldo a intervenção de seguranças e a possibilidade do partido responder a um processo movido pelo TRE-PI. Além disso, o Ministério Público Eleitoral e o presidente da Corte, o desembargador Raimundo Eufrásio, solicitaram que agentes da Polícia Federal acompanhem as próximas sessões do Tribunal.

Junto com outros membros do PCO, Lourdes interrompeu a sessão aos gritos de ?Justiça Ficha Suja!?, e alegou que a Justiça Eleitoral agia para prejudicar os pequenos partidos. A manifestação da ex-candidata foi motivada pela decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no último fim-de-semana, que acatou a veredicto do TRE-PI sobre o indeferimento da candidatura de Melo. ?Estão querendo tirar os trabalhadores das eleições. Os pequenos partidos sempre são os mais prejudicados?, argumentou Lourdes.

A professora afirmou que ainda irá recorrer da sentença. Ela foi acusada de não ter apresentado o DRAP (Demonstrativo de Regularidade Partidária) e por não prestação de contas em participação nas eleições para a Prefeitura de Teresina, em 2008. Apesar disso, o TRE-PI irá dividir ainda essa semana, os 70 segundos do programa do PCO para os demais postulantes ao Palácio de Karnak. Desde ontem o horário destinado ao PCO deixou de ser exibido.

Esta não é a primeira vez que Lourdes Melo faz protestos no TRE-PI. Assim que teve a candidatura indeferida pelos magistrados piauienses, ela e outros filiados ao PCO levaram um caixão de papelão para a entrada do Tribunal e fizeram o enterro simbólico da Justiça. Para Eufrásio, o Tribunal ?não é lugar de protesto?. ?Não iremos mudar nossa postura por causa dessa atitude. Mas a candidata deve responder legalmente por ter atrapalhado as atividades da Corte?, destacou. O presidente disse ainda que, se ocorrerem novos protestos como o de ontem, os manifestantes podem vir a ser presos. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte