Após tomar posse, Confúcio diz que fará limpeza ética em Rondônia

"Nesse governo, eu tive a satisfação de ser o autor de todas essas denúncias, uma até que me atingiu, mas foi no bojo de ser governador.

Confúcio Moura (PMDB) é empossado governador de Rondônia , em solenidade no Teatro Estadual Palácio das Artes, em Porto Velho, na manhã desta quinta-feira (1º). Ele foi reeleito governador do estado, com 53,43% dos votos válidos. Durante discurso, garantiu que fará uma limpeza ética.

"Nesse governo, eu tive a satisfação de ser o autor de todas essas denúncias, uma até que me atingiu, mas foi no bojo de ser governador. Não fui indiciado, nem nada, apenas prestei esclarecimentos. É constrangedor, mas necessário e ainda haverá muitas investigações", disse Confúcio.

Vida política

Confúcio Aires Moura é de Dianópolis (TO), de 66 anos, rabalhou como policial militar, de 1967 a 1976, em Goiânia. Em 1975 formou-se em medicina pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e chegou a Rondônia, em 1976, para trabalhar como médico no governo do então Território Federal de Rondônia. É casado, tem duas filhas.

Em 1983, fundou o diretório do PMDB em Ariquemes e presidiu de 1983 a 1985 e de 1990 a 1994. Ocupou o cargo de secretário de Saúde de Rondônia entre 1987 e 1988. O primeiro cargo eletivo começou a exercer em 1995, como deputado federal, e foi reeleito por mais duas vezes (1998 e 2002).

No ano de 2004, se afastou da Câmara Federal para disputar a eleição de prefeito de Ariquemes, sendo eleito com 49,7% dos votos válidos. Em 2008 foi reeleito e renunciou ao mandato no ano de 2010 para concorrer ao governo de Rondônia em 2010. Foi eleito no segundo turno, quando recebeu 58,68% dos votos válidos, contra 41,32% do então governador João Cahulla (PPS).

Em 2014, após ficar praticamente empatado no primeiro turno com Expedito Júnior (PSDB), Confúcio recebeu, no segundo turno, o apoio do PT, que havia lançado Padre Ton como candidato. Durante toda a campanha, contou com o apoio de antigos aliados políticos, os senadores Acir Gurgacz (PDT) e Valdir Raupp (PMDB). Saiu vitorioso com 419.928 votos, o que corresponde a 53,43% dos votos válidos, contra 366.072 votos de Expedito – 46,57%.







Fonte: G1