Assembléia Legislativa vai escolher novo conselheiro do TCE

Assembléia Legislativa vai escolher novo conselheiro do TCE

Conselheiros do TCE-PI já especulam sobre os nomes que poderão ocupar o cargo vitalício com salário de R$ 24 mil

Nas próximas semanas o Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE-PI) vai divulgar um edital comunicando à Assembleia Legislativa do Piauí (AL) a vacância da cadeira de conselheiro do órgão, ocupada até então pelo ex-deputado estadual e conselheiro falecido no último dia 06 em um acidente aéreo, Xavier Neto. A informação foi confirmada pelo presidente do TCE-PI, conselheiro Kennedy Barros. ?O TCE-PI vai fazer nova abertura de inscrições à sabatina e em seguida a votação?, adiantou. Como os cargos de conselheiros no TCE-PI são vitalícios, as mudanças nos quadros da instituição ocorrem apenas em ocasiões pontuais, como aposentadorias ou tragédias, como a que vitimou Xavier Neto.

Informalmente, conselheiros do TCE-PI já especulam sobre os nomes que poderão ocupar o cargo vitalício com salário de R$ 24 mil, entre eles, deputados veteranos como o presidente da Assembleia, Themístocles Filho (PMDB), o atual secretário estadual de Governo e deputado Wilson Brandão (PSB), além de Kléber Eulálio (PMDB), líder do Governo na Alepi.

Os critérios para conquistar a vaga são ter a idade mínima de 35 anos e experiência mínima de 10 anos em atividade pública relevante, além de ter idoneidade e reputação ilibada, notório saber na área jurídica, contabilidade e administração. A votação ocorrerá em plenário e só será eleito aquele candidato que contar com, pelo menos, 16 votos. A cadeira ocupada por Xavier era do conselheiro Sabino Paulo, irmão do ex-deputado estadual Roncalli Paulo (PSDB).

Na eleição para o TCE-PI, em 2010, Xavier Neto foi eleito por 21 votos contra oito do empresário Júlio Arcoverde, e uma abstenção do próprio ex-parlamentar. No primeiro turno foram 14 votos de Xavier Neto, nove votos de Júlio Arcoverde, cinco votos para o auditor Jaílson Campêlo e um voto para Zózimo Tavares.

Parlamentar com oito mandatos e quase 30 anos na Casa, Xavier não foi eleito por unanimidade para o cargo de conselheiro, o que resultou em um discurso inflamado na ocasião, onde afirmou que foi traído pelos colegas da Alepi. Com a saída do ex-deputado, que também precisou se desligar da presidência regional do PR, o suplente Valério Carvalho (PDT) assumiu a vaga na Assembleia. O filho do conselheiro, Fábio Xavier, assumiu a presidência piauiense da sigla.

Fonte: Savia Barreto