Assembléia não vai convocar suplentes de deputados

Se fossem convocados os suplentes não teriam possibilidade de atuar como deputados

Os suplentes que deveriam ocupar as vagas de deputados estaduais por apenas um mês no lugar dos titulares convocados para o secretariado do governador Wilson Martins (PSB) não irão mais receber o salário de R$ 12,2 mil. A direção da Assembleia Legislativa do Piauí decidiu que não vai convocar os potenciais parlamentares das coligações eleitas em 2006. Se fossem convocados os suplentes não teriam possibilidade de atuar como deputados, já que o ano legislativo só inicia em fevereiro.

Com o regimento da Casa modificado e impedindo a convocação de suplentes no recesso parlamentar, apenas uma exceção será feita. Como o vice-governador Moraes Sousa Filho (PMDB) renunciou ao mandato de deputado para ocupar a vaga no Executivo, a Alepi empossou ontem o único suplente que ficará no cargo pelo período de um mês:

Marcelo Coelho (PP). Além do salário, o suplente receberá uma verba de gabinete de R$ 45 mil.

Com a saída do deputado Robert Rios (PC do B) para a pasta da Segurança, entraria o suplente Valério Carvalho (PDT). Ele obteve 17.371 votos em 2006. Já com a convocação da deputada estadual Lílian Martins (PSB) para a secretaria de Saúde, teria lugar na Alepi, temporariamente, Paulo Henrique Paes Landim (PTB). Os dois concorreram mas não conseguiram se eleger este ano.

Já na vaga de Warton Santos (PMDB), que está na Secretaria estadual de Desenvolvimento Econômico, retornaria à Casa o presidente estadual do PT, Fábio Novo. Ele foi reeleito este ano. O vereador de Teresina, Levino dos Santos (PRB), que conseguiu 10.048 votos há quatro anos, entraria na cadeira que era ocupada por Wilson Brandão (PSB), que foi para a secretaria de Governo. Já na vaga do petista Henrique Rebêlo, que é o novo secretário de Justiça, estaria Jonathas de Barros Nunes, que teve 8.648 votos.

Outro que já começou a ocupar o cargo legislativo apenas por algumas semanas é Raimundo de Sá Filho, o R.Sá (PSDB). Ele é o primeiro suplente de Átila Lira (PSB), novo secretário de Educação. R.Sá foi candidato a vice-governador do também tucano Sílvio Mendes e conseguiu mais de 61 mil votos em 2006. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte