Assessor do senador Romário é acusado de cometer 4 homicídios

Segundo ação na qual é réu, Musauer integrava quadrilha do bicheiro

O assessor parlamentar Wilson Musauer Júnior, lotado no gabinete do senador Romário (PSB-RJ), é réu na 2ª Vara Criminal de Guapimirim, na Baixada Fluminense, sob a acusação de homicídio qualificado, ocultação de cadáver e formação de quadrilha.

Romário e Wilson Musauer Júnior (Crédito: Reprodução/Facebook )
Romário e Wilson Musauer Júnior (Crédito: Reprodução/Facebook )

Musauer e um comparsa espancaram e usaram cordas para enforcar, até a morte, quatro homens que prestavam serviços para a quadrilha comandada pelo bicheiro Waldemar Paes Garcia, o Maninho, assassinado em setembro de 2004. Segundo o Ministério Público, os líderes do bando desconfiavam que as vítimas, que eram responsáveis por coletar o dinheiro das máquinas de caça-níquel do bicheiro em Pilares, Zona Norte do Rio, estavam desviando parte do montante.

Um dos assessores mais próximos do senador, Musauer — a quem Romário chama de Wilsinho — recebe um salário de R$ 18,9 mil no Senado e dá expediente no escritório mantido pelo senador na Barra da Tijuca, na Zona Oeste. O acusado também é o secretário de Finanças do PSB no Rio, indicado por Romário, presidente do diretório estadual do partido.

A convivência entre os dois vem de longa data. Musauer exerceu as funções de segurança e motorista de Romário quando ele era jogador. O acusado também trabalhou no Café do Gol, boate e restaurante que o senador manteve na Barra, entre o fim dos anos 1990 e o início dos anos 2000, e foi funcionário de Romário na Câmara dos Deputados.



Fonte: Com informações do OGlobo