Assis e Magalhães entram com ação no TRE-PI após serem proibidos de fazerem campanha

De acordo com o advogado do PT, Alexandre Nogueira, os candidatos estavam obedecendo a legislação eleitoral

Uma abordagem de supostos fiscais eleitorais a dois candidatos petistas nas eleições deste ano terá como resultado uma representação no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PI). Os deputados estaduais Cícero Magalhães, que busca a reeleição, e Assis Carvalho, que concorre a uma vaga na Câmara Federal, foram impedidos, na manhã de ontem, de pedir votos na Praça João Luís Ferreira, no Centro de Teresina.

Dois homens que se diziam fiscais da Justiça Eleitoral mas não quiseram se identificar, afirmaram aos parlamentares que eles não tinham autorização para fazer a caminhada naquela área, e deveriam fazer o percurso sem bandeiras ou militantes. De acordo com o advogado do PT, Alexandre Nogueira, os candidatos estavam obedecendo a legislação eleitoral e a abordagem foi ?injustificada?.

?A lei não proíbe esse tipo de manifestação. Protocolamos uma representação para saber quem são esses fiscais nomeados. Se for comprovado que não eram fiscais do TRE-PI, isso se classifica como crime eleitoral e o Ministério Público deve investigar?, argumenta Nogueira.

Entre as proibições específicas para a campanha durante o período eleitoral em Teresina estão o uso de carros de som na avenida Frei Serafim, a colocação de material de propaganda na área de jardins e preservação da Avenida João XXIII, o uso de cavaletes no passeio lateral das Avenidas Raul Lopes, Cajuína e Marechal Castelo Branco, utilizadas para a prática de caminhada. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte