Manifestação a favor da Petrobras reúne 5 mil na Paulista

Segundo a Polícia Militar de São Paulo, há cerca de 3 mil pessoas no Masp, onde ocorre o protesto dos professores, e 5 mil no restante da Avenida Paulista.


O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas, afirmou nesta sexta-feria, 13, em são Paulo, durante a manifestação em defesa da Petrobras de dos direitos dos trabalhadores, que há tentativa de criar um terceiro turno para a eleição presidencial.

"Nós temos que acabar a eleição. A eleição já acabou. Esse ato fala que o Brasil precisa acabar com esse terceiro turno. As pessoas que querem se manifestar contra ou a favor do governo ainda têm muito espaço, porque isso é uma Democracia", disse o presidente da CUT.

Apesar de criticar o discurso que prega saída de Dilma Rousseff do poder, Vagner Freitas, cuja entidade é uma das principais organizadoras dos protestos desta sexta-feira, fez críticas à política econômica atual do governo e pregou unidade. "Agora precisamos de uma unidade nacional para o Brasil ter crescimento. E uma política econômica voltada para o crescimento. Se ficar só corta corta corta, sem investimento, não anda a economia e portanto não gera emprego."

Segundo a Polícia Militar de São Paulo, há cerca de 3 mil pessoas no Masp, onde ocorre o protesto dos professores, e 5 mil no restante da Avenida Paulista. Um ato da CUT e do MTST fecha os dois sentidos da Avenida Paulista na altura do prédio da Petrobras. Ocorrem ou já ocorreram manifestações em 17 estados (AL, AP, BA, CE, GO, MA, MG, MS, MT, PE, PR, RJ, RN, SC, SE e SP) e no Distrito Federal.

Fonte: Brasil247