Auditor da prefeitura de São Paulo diz que gastou boa parte do dinheiro da corrupção com sexo

Auditor da prefeitura de São Paulo diz que gastou boa parte do dinheiro da corrupção com sexo

"Já cheguei a gastar R$ 8.000 a R$ 10 mil com mulheres", relatou ele

Luis Alexandre Cardoso Magalhães, fiscal da Prefeitura de São Paulo envolvido no suposto esquema de corrupção que teria desviado R$ 500 milhões dos cofres públicos, disse ter gastado boa parte do dinheiro da fraude com mulheres.

"Já cheguei a gastar R$ 8.000 a R$ 10 mil com mulheres", relatou ele, em entrevista ao Fantástico, exibida na noite deste domingo (24), na TV Globo.

O auditor, que delatou parte do esquema ao Ministério Público após sua prisão, negou ter dinheiro guardado no exterior, como revelou a escuta telefônica de uma suposta ligação entre ele e uma bancária de Miami (EUA).

Ao ser questionado sobre o destino do dinheiro desviado, Magalhães afirmou que "cada um teve a sua compulsão e eu comecei a ficar compulsivo por sexo."

"Nunca tomei vinho de R$ 4.000, mas já paguei R$ 5.000 para sair com uma dessas mulheres de capa de revista", revela ele, que relatou que só com o dinheiro de seu salário não teria como bancar "essas regalias".

"É difícil gastar isso com o fruto do seu sacrifício", acrescentou.

Magalhões não soube dizer, no entanto, se se arrependeu de ter participado do esquema de corrupção.

"Não sei responder essa pergunta. Ainda não caiu a ficha." Ainda assim relatou não ter condições de devolver tudo que desviou dos cofres públicos. "Só se eu fosse pegá-lo com cada uma das mulheres que sai", ironizou ele.

A Controladoria Geral do Município de São Paulo e o Ministério Público, responsáveis pelas investigações, afirmam que o patrimônio de Guimarães é de R$ 18 milhões, incompatível com o salário mensal de R$ 14 mil que recebe como funcionário público

Fonte: UOL