Barrado pelo Ficha Limpa, Maluf garante: ""Eu sou candidato""

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo indeferiu por quatro votos a dois o registro de candidatura à reeleição de Maluf

O deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) disse que vai recorrer da decisão da Justiça Eleitoral paulista de rejeitar sua candidatura à reeleição. "Meus eleitores podem ficar tranquilos e votar em mim no dia 3 de outubro. Confio 100% na Justiça de Brasília", disse ao G1.

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo indeferiu por quatro votos a dois o registro de candidatura à reeleição de Maluf com base na Lei Ficha Limpa, que proíbe candidaturas de condenados por órgão colegiado da Justiça.

Maluf poderá recorrer da decisão do TRE-SP ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Enquanto o recurso não for julgado, ele poderá continuar em campanha.

Em abril deste ano, o deputado foi condenado pela 7ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo em uma ação de improbidade administrativa. Ele foi acusado de superfaturar a compra de frangos para a Prefeitura de São Paulo, quando era prefeito em 1996.

A defesa de Maluf alega que, como o deputado recorreu ao próprio tribunal com um recurso especial, a condenação foi suspensa. O recurso ainda não foi analisado.

"Está tudo absolutamente normal. Eu sou candidato. No julgamento, tecnicamente, dois juízes, inclusive um desembargador federal e um juiz estadual, votaram que não tenho condenação. Não há nenhuma razão [para barrar a candidatura]", afirmou Maluf.

Em julho, o Ministério Público Eleitoral de São Paulo pediu a impugnação da candidatura à reeleição do deputado. "O ato reconhecidamente irregular, por sua própria natureza, não poderia se aperfeiçoar senão por determinação direta do gestor público", argumentam os procuradores Pedro Barbosa Neto e André de Carvalho Ramos, que assinaram o pedido de impugnação.

Fonte: g1, www.g1.com.br