Barras terá novas eleições dia 11

Manin Rêgo e o vice, Manoel José de Almeida Neto, foram acusados de abuso de poder econômico e captação ilícita de sufrágio

O município de Barras será palco da quinta eleição suplementar do Piauí desde o último pleito de 2008. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PI) divulgou ontem calendário das eleições. As convenções partidárias já acontecem neste final de semana e a disputa nas urnas está marcada para o dia 11 de abril. Quatro pré-candidatos concorrem à vaga deixada pelo ex-prefeito Manin Rêgo (PMDB): Francisco Marques, também pelo PMDB, Joaquim Lucas (PTB), Juarez Rocha (PTB) e Manoel do PT.

Manin Rêgo e o vice, Manoel José de Almeida Neto, foram acusados de abuso de poder econômico e captação ilícita de sufrágio, ou seja, compra de votos, nas eleições de 2008. O TRE-PI condenou o prefeito em dezembro do ano passado, mas devido às ações judiciais movidas por Manin para continuar no cargo, a aplicação da decisão havia sido adiada.

A última chance do peemedebista voltar à Prefeitura ? comandada hoje pelo presidente da Câmara, o vereador Francisco Marques (PMDB) ? será a apreciação do recurso impetrado pela defesa no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em um caso semelhante ao de Barras, o TSE concedeu ao prefeito em Nossa Senhora dos Remédios, Raimundo Paulo Silva, uma liminar, em ação cautelar, para suspender as eleições suplementares para prefeito um mês antes da data marcada para a realização do pleito, no final de 2009.

COMISSÃO DE PROPAGANDA- A Comissão de Juízes da Propaganda Eleitoral recebeu uma nova denúncia de propaganda extemporânea de pré-candidatos piauienses. Dessa vez, o deputado federal José Maia Filho, o Mainha (DEM) foi acusado pelo procurador auxiliar do Ministério Público Eleitoral, Kelston Lages, por um outdoor colocado no município de Luzilândia. O democrata tem 48h para apresentar sua defesa. O deputado federal Antônio José Medeiros, pré-candidato do PT à governador, e o deputado federal Ciro Nogueira (PP), já sofreram condenações na Comissão pela propaganda fora da época legal.

IMPROBIDADE- Pela terceira vez apenas este ano, o Ministério Público Federal condenou o ex-prefeito do município de Nazaré do Piauí, Jorge Luiz Teles de Oliveira, por improbidade administrativa durante seu mandato entre os anos de 1997 a 2000. Segundo a ação civil proposta em 2005 pelo MPF, através do procurador da República Wellington Bonfim, Jorge Luiz, não teria prestado contas de R$ 16.380, apesar de ter recebido notificação. A juíza federal Marina Rocha Cavalcanti Barros Mendes, da 5ª Vara Federal, condenou o ex-gestor à suspensão dos direitos políticos por cinco anos e proibição de contratar com o Poder Público pelo mesmo período. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte