Base aliada vence e Trigo é confirmado no comando da Agespisa

Base aliada encaminhou 19 votos favoráveis a indicação

Os reveses impostos no início da atual legislatura foram subjugados na tarde de ontem pela base governista na Assembleia Legislativa, que impôs sua primeira vitória maiúscula sobre a oposição, liderada pelo deputado estadual Robert Rios (PDT). O triunfo ocorreu com a aprovação de Raimundo Trigo para a presidência da Agespisa e se deu em dose dupla, tendo em vista que chegou a ser cogitado o adiamento da sabatina tomando como base um parecer contrário das contas de Trigo durante sua gestão na Emgerpi. O impedimento, porém, ao ser submetido a votação no Plenário, não foi laureado.

“A matéria já havia sido tratada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Hoje o presidente do CCJ é o líder da oposição. Ele teve uma ótima oportunidade para ter feito toda uma devassa, principalmente nessa questão da prestação de contas e não há nada transitado em julgado”, disse o deputado estadual João de Deus.

Submetida a votação se-creta, foram 19 votos favoráveis a indicação do Executivo e apenas sete contra, reiterando a mudança do panorama no Legislativo, visionando para uma maior facilidade na aprovação das matérias de interesse do governador Wellington Dias (PT).

Em sua primeira “batalha” na Casa, João de Deus avalia ter cumpriu o papel de articulador. “Eu acho que esse foi o primeiro teste, com certeza pra gente com muita alegria, nós tivemos não só aqueles deputados que já estavam confirmados como deputados governistas, mas outros que votaram conosco”, afirmou.

Após ser confirmado no cargo, Trigo agradeceu a oportunidade em entrevista ao Jornal Meio Norte, relatando que terá um longo trabalho na condução da companhia de abastecimento e esgotamento sanitário. “Bom, a maioria votou a favor do nosso nome e esses debates fazem parte do jogo democrático do Legislativo. Isso só aumenta nossa responsabilidade, mas desde o começo do ano já estamos trabalhando para tornar a Companhia menos deficitária”, comentou.


Fonte: Francy Teixeira