Brasil assina acordos e pode comprar sistema antiaéreo russo

Brasil assina acordos e pode comprar sistema antiaéreo russo

Os países fecharam a intenção de dobrar as trocas entre os países para US$ 10 bilhões

A presidente da República, Dilma Rousseff, assinou nesta segunda-feira uma série de acordos de cooperação com seu homólogo russo, Vladimir Putin, antes da cúpula dos Brics, que será sediada a partir de amanhã em Fortaleza. Entre os acordos, os países fecharam a intenção de dobrar as trocas entre os países para US$ 10 bilhões e pela continuidade das negociações para o Brasil adquirir um sistema de defesa antiaérea russo.

Pelo documento assinado, o Brasil foi convidado pela Rússia para participar de exercícios militares daquele país com o uso do sistema Pantsir-S1, em agosto de 2014. Dilma demonstrou interesse na compra e em ampliar a cooperação entre os dois países.

?Instruímos nossos negociadores a dar continuidade às negociações para aquisição pelo Brasil de unidades do sistema russo de defesa antiaérea. Isso porque buscamos com a Rússia uma relação de longo prazo?, disse Dilma.

A presidente brasileira cumprimentou as negociações da Rússia sobre a tensão na Síria. ?Consideramos que a escalada de conflitos ameaça a estabilidade mundial e obriga as relações multilaterais a serem cada vez mais eficientes. Nessa ordem multipolar é necessário lutar com prioridade a resolução consensual e pacífica de conflitos?, disse.

Acordos

Entre os acordos assinados entre os países, está um plano de ação para elevar o patamar comercial bilateral a US$ 10 bilhões, ante os US$ 5 bilhões registrados em 2013; a instalação, na Universidade de Santa Maria (UFSM) e no Instituto Técnico de Pernambuco, de estações do sistema de navegação por satélite Glonass, que permitirá melhor imagem do sistema russo no hemisfério ocidental.

Além disso, também foram fechados acordos para cooperação na exploração e produção de hidrocarbonetos e a cooperação na produção de vacinas. Também foi fechado um protocolo de intenções no estudo de monetização do gás de Solimões.

Economia e Brics

Na reunião, Dilma convidou os russos a investirem em infraestrutura no Brasil. ?Transmiti ao presidente Putin as inúmeras oportunidades que se abrem em energia infraestrutura, áreas nas quais as empresas russas poderão aumentar sua presença, especialmente em concessões de petróleo, portos e ferrovias?, disse.

A presidente também ressaltou que os dois países devem cooperar em cúpulas internacionais e na criação do banco do Brics. ?Reiteramos ser essencial a atuação coordenadas de nossos países na agenda do G20 (...) em todas as instituições internacionais, em especial nas econômicas, única maneira de tornar por FMI um integralismo multilateral e democrático?, disse.

Copa e Olimpíadas

Após a reunião, Dilma e Putin manifestaram a intenção de cooperar na realização de grandes eventos. A Rússia receberá, em 2018, a Copa do Mundo, enquanto o Rio de Janeiro sediará os Jogos Olímpicos de 2016.

"O Brasil vai ser centro dos Jogos Olímpicos. Nós realizamos Jogos Olímpicos de Inverno (de Sochi) e vamos trocar experiências sobre a matéria", disse Putin.

Fonte: Terra