Brasil perdeu medo de emprestar dinheiro, afirma Lula

Presidente participou da inauguração da nova sede do Sebrae, em Brasília.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva ressaltou nesta quarta-feira (24) a importância do aumento da oferta do crédito para o crescimento da economia brasileira. Segundo ele, ações como o microcrédito e o crédito consignado geraram novas oportunidades.

?Todo mundo perdeu um pouco o medo, de que emprestar dinheiro era ruim. Para que alguém conseguisse o empréstimo no banco, a pessoa tinha de ter tanta garantia e tanto dinheiro para pagar sua dívida que não precisava pegar dinheiro emprestado porque já tinha o suficiente. Porque as exigências eram as mais exageradas. Nós conseguimos mudar a regra do jogo?, afirmou o presidente.

Lula participou na noite desta terça da inauguração da nova sede do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), em Brasília.

Em seu discurso, Lula lembrou ainda das dificuldades de fazer mudanças na economia para estimular o acesso ao crédito para as populações de baixa renda. Segundo ele, houve resistência à proposta de oferecer crédito consignado a aposentados, fatia do mercado que representa R$ 49 bilhões.

?Nesses oito anos de governo, nós conseguimos provar à sociedade brasileira e ao mundo que era possível governar o país de uma forma diferenciada, de que era possível a gente vencer a miséria absoluta, vencer a pobreza. Precisou eleger um torneiro mecânico que passou 29 anos da vida dizendo que era socialista para o Brasil se transformar num país de economia capitalista?, disse.

O vice-presidente eleito, Michel Temer (PMDB), também participou da inauguração. Ele lembrou que o Sebrae ajudou na elaboração da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa e serviu de exemplo para que fossem incluídos na Constituição Federal dispositivos de apoio a esse segmento de empresas.

?Foi o exemplo do Sebrae que serviu de inspiração para uma norma constitucional para privilegiar a micro e pequena empresa?, afirmou Temer.

No encontro, Lula voltou a brincar com o fim de seu mandato, ao cumprimentar o presidente da entidade, Paulo Okamoto, que deve deixar o cargo no final do ano. ?Meu companheiro Paulo Okamoto, você ainda tem esperança de continuar presidente. Eu tenho que cair fora?, disse.

Fonte: g1, www.g1.com.br