Brasil pretende ampliar relações comerciais com o Oriente Médio

Em quatro dias de visita ao Oriente Médio, o presidente pretende ampliar acordos comerciais, aprofundar as relações bilateraais com cada país

Em quatro dias de visita ao Oriente Médio, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pretende ampliar acordos comerciais, aprofundar as relações bilaterais com os representantes de cada país e mostrar a disposição do Brasil em contribuir para o encaminhamento do processo de paz no Oriente Médio.

Lula começará a viagem por Israel e será recebido, na segunda-feira (15), pelo presidente Shimon Peres, pelo primeiro-ministro Binyamin Netanyahu e pelo presidente do Parlamento (Knesset), deputado Reuven Rivlin. Lula também será recebido pela líder da oposição, deputada Tzipi Livni.

O presidente participará de um seminário empresarial Brasil-Israel, com a presença de cerca de 70 empresários brasileiros, e fará um discurso na sessão plenária especial do Parlamento. Está previsto, ainda, um encontro com representantes da sociedade civil israelense e palestina. Na terça-feira (16), Lula visitará o Memorial do Holocausto e plantará uma árvore no Bosque de Jerusalém.

O intercâmbio comercial do Brasil com Israel saltou de US$ 440 milhões, em 2002, para US$ 1,6 bilhão, em 2008. Em função da crise financeira internacional, o fluxo de comércio sofreu retração em 2009 para cerca de US$ 920 milhões. O governo brasileiro espera o crescimento das trocas comerciais em virtude da entrada em vigor, no mês que vem, do Acordo de Livre Comércio entre o Mercosul e Israel.

A visita aos Territórios Palestinos Ocupados começará na tarde de terça-feira (16). Em Belém, Lula se reunirá com Mahmoud Abbas e com o primeiro-ministro palestino, Salam Fayyad. Lula também visitará a Basílica da Natividade. Paralelamente à visita presidencial, ocorrerá em Belém, ainda no dia 16, uma mesa-redonda entre empresários e autoridades com a participação de cerca de 20 empresários brasileiros.

Em Ramalá, na quarta-feira (17), Lula vai inaugurar a Rua Brasil, próxima ao complexo presidencial da Autoridade Palestina e depositará oferenda floral no Mausoléu de Yasser Arafat. Com a Autoridade Palestina deverão ser assinados acordos de cooperação técnica, educacional e cultural.

Lula chegará à Jordânia na quarta-feira (17), quando terá encontro privado durante um jantar com o Rei Abdullah II. No dia 18, fará visita de cortesia ao presidente do Senado, Taher Masri, e terá uma reunião com o primeiro-ministro Samir Rifai. Também na Jordânia, Lula participará de encontro com empresários dos dois países.

O intercâmbio comercial Brasil-Jordânia saltou de US$ 28 milhões para US$ 318 milhões de 2002 a 2008. Em 2009, ficou próximo de US$ 190 milhões. De acordo com o governo, estão em andamento negociações para a assinatura de acordo de livre comércio do Mercosul com a Jordânia.

Fonte: Agência Brasil