Cabral nega problemas com Dilma: "não vão nos dividir", diz

Cabral nega problemas com Dilma: "não vão nos dividir", diz

Partidos do governador e da presidente da República disputam preferência

Em meio à intensa disputa política do PT e do PMDB para a sucessão estadual no ano que vem, a presidente Dilma Rousseff e o governador Sérgio Cabral trocaram afagos em cerimônia de lançamento de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), no complexo esportivo da favela da Rocinha, na zona sul do Rio de Janeiro. Cabral mencionou, de forma indireta, os boatos de que estaria estremecido com a presidente. Segundo Cabral, ele e Dilma continuam parceiros.

"Tentam nos dividir, mas não vão conseguir. Esse amor é um amor e uma parceria para o bem do povo do Rio e do Brasil", afirmou o peemedebista, se referindo à presidente. Dilma, ao mencionar Cabral em seu discurso, o chamou de "meu parceiro e parceiro do presidente Lula", lembrando da aliança do governador e do ex-presidente, que se tornaram amigos pessoais.

Cabral pressiona o PT a retirar a pré-candidatura do senador Lindbergh Farias (PT-RJ) ao governo do Estado, para apoiar o pré-candidato do PMDB, o vice-governador Luiz Fernando Pezão. O PMDB fluminense já colocou em xeque a aliança nacional com o PT, caso Lindbergh realmente concorra ao Palácio Guanabara em 2014.

Pezão foi tratado como a grande vedete do evento. O pré-candidato do PMDB ao governo estadual reinou sozinho no palanque. Estremecido com o PMDB e tirado de cena pelo próprio PT, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), presença sempre constante nos eventos da presidente no Rio, não compareceu à cerimônia.

O vice-governador foi bastante mencionado por Cabral e pelo prefeito Eduardo Paes, seus companheiros de partido. Até mesmo uma pequena claque gritava o nome de Pezão, que fez um longo discurso exaltando as obras que estão sendo feitas no Rio. Logo após Pezão falar, Cabral foi até o microfone e brincou. "O que vou falar depois do Pezão? Arrasou, né? Cabra bom", observou.

Um pequeno grupo chegou a protestar na cerimônia cobrando a promessa de obras do PAC no Complexo do Andaraí, zona norte da cidade. Eles tiveram cartazes recolhidos pelo staff da Presidência, sob a promessa de que seriam entregues às autoridades.

"O presidente Lula prometeu, lá atrás, que ia ter obras no Complexo do Andaraí. Só colocaram UPP lá, mas não fizeram nada no social", afirmou o presidente da associação de moradores do Andaraí, André Santana. Ele garantiu que entregou os cartazes de forma espontânea, depois da promessa de que as queixas seriam levadas à presidente.

Em seu discurso, a presidente Dilma Rousseff exaltou as obras em comunidades carentes feitas na sua gestão, e no governo anterior, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Dilma disse ter a certeza de que o governo acertou ao adotar a política de beneficiar a população mais carente.

"Um País só é vencedor quando faz com que seu povo seja vencedor junto com ele. Construímos aqui condições para que o povo desta comunidade vencesse junto com o País", declarou a presidente.

Fonte: Terra, www.terra.com.br