Cachoeira curte vida tranquila e luxuosa um ano após ser preso

Cachoeira curte vida tranquila e luxuosa um ano após ser preso

Envolvimentos em escândalos não intimidaram o bicheiro, que após cadeia já se casou e fez viagem milionária

Há um ano, no dia 29 de fevereiro de 2012, Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, foi preso após o início da operação Monte Carlo, da Polícia Federal. Ele foi solto no dia 11 de dezembro e, desde então, sua vida mudou muito. Cachoeira se casou e passou lua de mel em um resort badalado da Bahia.

Naquela ocasião, a Polícia Federal prendeu o bicheiro e mais 34 envolvidos em um grande esquema de jogo do bicho e de exploração de máquinas caça-níqueis em quatro Estados e no Distrito Federal.

Em agosto de 2012, o bicheiro deixou a prisão para prestar depoimento na 5ª Vara Criminal de Brasília. O objetivo era ajudar a resolver o processo contra ele que investiga irregularidades no sistema de bilhetagem do transporte público da capital federal.

Apesar de ter sido condenado a cinco anos de prisão no regime semiaberto pelo TJDFT (Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios), Cachoeira conseguiu um Habeas Corpus e foi liberado depois de quase nove meses de prisão. Desde então, a vida do contraventor em Goiânia (GO) voltou à normalidade e teve até casamento.

No dia 28 de dezembro, o contraventor se casou com sua noiva, Andressa Mendonça, que também esteve sob os holofotes durante os meses em que ele esteve preso.

Após o casamento, o casal viajou um resort de luxo na Bahia. O local tem 240 mil metros quadrados e diária que pode custar até R$ 3.150.

Na época, a mulher de Cachoeira, Andressa Mendonça, postou uma foto com ele ao fundo na rede social Instagram e ainda escreveu: "Nossa suíte #inlovecomesselugar!!!". Alguns hóspedes que não têm jatinhos costumam descer no aeroporto internacional de Salvador (BA) e pegar outro avião menor, de até oito lugares, para chegar ao resort.

Em julho, quando o noivo ainda estava preso, Andressa prestou esclarecimentos à Polícia Federal sobre uma denúncia de que teria tentado subornar um juiz federal para beneficiá-lo. Ela chegou a pagar fiança de R$ 100 mil, em dinheiro, para se livrar da cadeia.

Três dias após sair da cadeia, Cachoeira foi visitar o túmulo da mãe, Maria José de Almeida Ramos, que faleceu no mês de abril, quando ele estava preso. O contraventor foi ao Cemitério São Miguel, em Anápolis, no interior de Goiás, acompanhado de Andressa.

Os momentos de lazer não são raros na vida do casal, que mostra estar feliz entre os amigos e familiares.

O casal mora no condomínio Alphaville em Goiânia (GO), um dos mais luxuosos da capital goiana. Cachoeira pagou cerca de R$ 1,5 milhão por uma casa no condomínio, de acordo com dados da Polícia Federal. A festa de casamento deles foi no salão de festas do residencial.

Em dezembro de 2012, o MPF (Ministério Público Federal) pediu o confisco de bens de todos os condenados no Caso Cachoeira. Até que a Justiça acate o pedido, o contraventor tem a seu dispor um patrimônio de pelo menos R$ 167 milhões em bens, todos em nomes de parentes e laranjas.

Durante os nove meses em que esteve preso, Cachoeira precisou prestar depoimentos no Congresso e à Justiça. No fim, porém, a CPI do Cachoeira, que investigava seus negócios, acabou em pizza.

Fonte: r7