Caetano Veloso defende deputado e critica jornal: "esperei mais seriedade"

Músico ataca postura de O Globo em sua coluna semanal no próprio periódico

O músico Caetano Veloso usou a sua coluna no jornal O Globo deste domingo para defender o deputado estadual Marcelo Freixo (Psol-RJ). "Gosto de Freixo não porque ele é do Psol. Acho que gosto um tanto do Psol por ele abrigar Freixo", disse um dos líderes do tropicalismo. Em seu texto, o compositor fez duras críticas ao próprio periódico pelo conteúdo veiculado durante o caso do cinegrafista Santiago Andrade, morto após ser atingido por um rojão durante uma manifestação no Rio de Janeiro.

"Simplesmente me pergunto qual exatamente será a intenção do O Globo ao estampar manchetes e editoriais induzindo seus leitores a ligarem Marcelo Freixo aos rapazes que lançaram o rojão que matou Santiago Andrade. A matéria publicada no dia em que saiu a chamada de capa com o nome do deputado era uma não notícia. Nela, a mãe de Fábio Raposo, o rapaz que entregou o foguete a Caio Souza, é citada dizendo acreditar que o filho ?tem algum tipo de ligação com Freixo?. Isso em resposta a uma possível declaração do advogado Jonas Tadeu Nunes, que, por sua vez, partiu de uma suposta fala da ativista apelidada Sininho. O Globo diz que esta nega. Como então virou manchete a revelação da possível ligação entre o deputado e os rapazes envolvidos no trágico episódio? Eu esperaria mais seriedade no trato de assunto tão grave", escreveu Caetano.

Para o compositor, as matérias do Globo que repercutiram as falas do advogado Jonas Tadeu - que defende Caio Silva de Souza, acusado de solar o rojão - insistem em lançar suspeita sobre Freixo, por ser o Psol, seu partido, um possível doador do alegado dinheiro usado para aliciar pessoas para as manifestações. "Na verdade, as declarações do advogado, mesmo nas páginas do Globo, soam inconvincentes. Jânio de Freitas, em artigo posterior àquele em que defende a tese de assassinato deliberado, se mostra desconfortável com o comportamento de Jonas Tadeu. Já O Globo, no qual detecto uma sinistra euforia por poder atacar um político que aparentemente ameaça interesses não explicitados, trata as falas de Tadeu sem crítica. Uma das manchetes se refere a vereadores do Psol que teriam contribuído para uma ação na Cinelândia, na véspera de Natal, sugerindo ligação do partido com vândalos, quando se tratava de caridade com moradores de rua. O tom usado no Globo é, para mim, de profundo desrespeito pela morte de Santiago", pontuou.

Caetano vai além. O músico cita na coluna que o deputado desmentiu em entrevista ao jornal qualquer ligação com os dois rapazes acusados pela morte de Santiago e que também lembrou a relação de Jonas Tadeu com o miliciano Natalino. "Quando Freixo era candidato a prefeito, escrevi artigo elogioso sobre ele. O jornal fez uma chamada de capa que, a meu ver, desqualificava meu texto. Manifestei minha indignação. A pessoa do jornal que dialogava comigo me assegurou não ter havido pressão dos chefes. Acreditei. Agora não posso deixar de me sentir mal ao ver a agressividade do jornal contra o deputado. Tudo ? incluindo os artigos de autores por quem tenho respeito e carinho ? me é grandemente estranho e faço absoluta questão de dividir essa estranheza com quem me lê", concluiu a coluna.

Fonte: Terra