Calero pede demissão e Roberto Freire assume Ministério da Cultura

Pediu demissão por "divergências" com integrantes do governo

A Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República anunciou na noite desta sexta-feira (18) que o deputado Roberto Freire (PPS-SP) será o novo ministro da Cultura.

Freire assumirá o cargo no lugar do diplomata de carreira Marcelo Calero, que pediu demissão do cargo por "divergências" com integrantes do governo

Quando Michel Temer assumiu o Palácio do Planalto, ainda como presidente em exercício, em maio – após o afastamento da então presidente Dilma Rousseff –, o presidente decidiu extinguir o Ministério da Cultura e transformá-lo em uma pasta vinculada ao Ministério da Educação.Diante da reação negativa de setores culturais e de artistas, com diversas manifestações pelo país, Temer optou por recriar a pasta.

Deputado federal Roberto Freire  (Crédito: Divulgação)
Deputado federal Roberto Freire (Crédito: Divulgação)


À época, Calero era o secretário de Cultura, convidado por Temer, e se tornou ministro com a recriação.

Roberto Freire, antes mesmo de Temer assumir como presidente em exercício, já havia sido sondado para comandar o Ministério da Cultura.Freire, logo após ser anunciado ministro, disse ter recebido o convite de Temer por telefone, por volta das 19h.

"Ele [Temer] me telefonou, tinha acabado de chegar em casa. Estou em Brasília mesmo. O presidente me convidou e eu aceitei", relatou.

Em seguida, Freire quis falar sobre o futuro no ministério, e se disse com disposição à "abertura ao diálogo". "Vou entrar com a mesma disposição para a abertura ao diálogo. De não acirrar processos", afirmou.

O novo ministro informou que deverá embarcar neste sábado (19) em direção a Recife (PE), onde terá compromissos partidários. Ele afirmou que estará de volta a Brasília na próxima segunda (21), para se reunir com o presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto."Vou antecipar minha volta. Eu voltaria só segunda à tarde. Vamos ver ainda quando dá, de acordo com os compromissos [do Temer]", observou.

Freire confirmou que já havia sido sondado por Temer para assumir o cargo de ministro da Cultura quando o peemedebista ainda articulava a montagem do governo interino, antes mesmo do afastamento de Dilma."Na época, ele me convidou e eu aceitei. Mas aí veio a redução do número de ministérios. Na redução, eu falei que não seria problema fazer a integração da Cultura com a Educação. Ficou então só o [ministro da Educação] Mendonça Filho. Aí, por questões do governo, quando recriaram a pasta, Temer chamou o Calero", relatou o novo ministro.

 Marcelo Calero (Crédito: Divulgação)
Marcelo Calero (Crédito: Divulgação)


CARTA

Leia abaixo a íntegra da carta de demissão do ministro da Cultura,

Marcelo Calero:Brasília, 17 de Novembro de 2016.

Ao Excelentíssimo Senhor Presidente da República Michel Temer,Agradeço a honra a mim concedida com o convite para ser Ministro de Estado da Cultura do Brasil de seu governo.Venho solicitar minha demissão em caráter irrevogável por razão de ordem pessoal.Durante os últimos seis meses, empreguei o melhor dos meus esforços, apoiado por uma equipe de extrema qualidade para pensar a política cultural brasileira.Saio do Ministério da Cultura com a tranquilidade de quem fez tudo o que era possível fazer, frente os desafios e limitações com os quais me defrontei. E que o fez de maneira correta e proba.Respeitosamente,Marcelo Calero Faria Garcia

NOTA

Leia, abaixo, a íntegra da nota divulgada pelo Palácio do Planalto para informar que o deputado Roberto Freire será o novo ministro da Cultura:

O ministro Marcelo Calero pediu demissão. O presidente Michel Temer aceitou e convidou o deputado Roberto Freire para assumir o Ministério da Cultura. Ele aceitou.

Fonte: G1